Um bombom

Colunistas

Por: Luiz Carlos Prates

quarta-feira, 04:00 - 15/06/2016

Luiz Carlos Prates
Aconteceu com uma colega e ela está até agora dando voltas no ar, tão feliz... Um colega dela, amigão, sem intenções de namoro, pediu a essa colega que lhe fizesse um favor, ele faria uma pequena viagem e voltaria no dia seguinte. Ela lhe fez o favor, coisa mínima na rotina de trabalho. Tudo bem, normal. No dia seguinte, ao chegar para trabalhar, sobre a mesa da moça havia um bombom e um bilhetinho: Obrigado, querida. Era o agradecimento do colega. A moça quase pirou. E eu sei, muitos vão achar uma história ridícula, uma bobagem que me faz perder tempo, certo? Quem pensar assim vai ter uma vida muito difícil na floresta humana... Gentileza é quase sempre um detalhe, um pormenor, algo que só assume significado diante de almas sensíveis. Essa gentileza conquista, cativa, apaixona. E quem não a pode ter como passaporte para amizades e duradouros relacionamentos? Os mal-educados, os insensíveis, os que não dão valor ao que só tem valor para o coração sensível. Nossos ambientes de trabalho, nossa casa mesmo, poderiam ser um agradável lugar de prazeres se não fôssemos tão emburrados, mal-humorados e “vingativos”: eles vão ver, vão ver!... Mas também ocorre de você ser gentil e a outra pessoa uma “pedra”, não reconhecer a gentileza, não agradecê-la, simplesmente pegar ou receber e sair. Muito comum. Até estou para dizer que a maioria é assim, uma pedra. Mas ai de você que as faça ver que são pessoas obtusas, que só pensam em si mesmas, que são toscas, vá dizer... Bom, se você quiser ver um “incêndio” num pátio de colégio ou sala de aula é fácil: mande uma criança chegar dizendo bom-dia professora; bom-dia, professor. Ou então, ao sair, até amanhã, professora; até amanhã, professor. Não vai faltar quem chame a Defesa Civil, os Bombeiros, a ONU... Ora já se viu uma criança educada, uma criança dando bom-dia, boa-tarde, ora já se viu... E se as crianças são assim, como esperar que os adolescentes e os mais velhos sejam educados? E para terminar, imagine, leitora, um marido educado, uma esposa educada, um casal educado, imagine. Parece até que há um programa de televisão nos Estados Unidos oferecendo 10 milhões de dólares a quem achar ou levar ao programa um casal educado um com o outro... Nem Adão e Eva... Ah, será que a colega teve coragem de comer o bombom? Nojo Nos meus arquivos, achei uma edição da revista Exame de 2011. Na capa esta manchete: - “Procuram-se 8 milhões de profissionais”. Pessoas qualificadas, é claro. Será que o Brasil nestes anos todos, de 2011 até agora, achou essa gente? Claro que não, nem vai achar. Qualificar-se exige disciplina e muito esforço continuado. A vadiagem quer bom salário, trabalhar pouco e gozar direitos. Que vão para o “governo” então... Falta dizer Acabei de ver as imagens de um aviário, foi na tevê. Milhares de pobres bichinhos sem sol, sem-terra, sem espaço, num estresse infinito e tendo seu sangue envenenado pelos hormônios do estresse e sabe-se mais o que... Maldade e veneno puro sobre a mesa...  
×