Essa frase - tu vais assim? - já criou mil brigas entre namorados e casais. É uma frase nada velada e que significa que o namorado ou marido não gostou do modo como a mulher se vestiu. Ele avalia que ela está ou ridícula ou atraente diante de outros olhos, e ele vai correr “riscos” frente aos outros homens. Mais das vezes, é essa a razão da frase, insegurança ou ciúme, mas...

Pode ser também que a mulher esteja malvestida, em desacordo com o local para onde ela vai... Bem que pode ser. E aí, nesse caso, estamos entrando no que se chama de “decoro”, que outra coisa não é senão decência.

Essa palavra decoro ficou conhecida em razão da falta de compostura de muitos políticos, a tal história do “decoro parlamentar”, fulana/o faltou com o decoro, com a decência esperada. E é bom que fique claro que esse decoro, essa decência, envolve a todos nós onde quer que vamos ou estejamos.

E dizendo isso, Santo Deus, como há gente faltando com o decoro. “Trambolhos”, por exemplo, indo ao supermercado sem camisa, ordinários dirigindo carros sem camisa, tudo com a desculpa de que é verão, calor, e todas as outras conversas típicas de gentalha. Engraçado, mas pelo mesmo calor, eles não deixam suas mulheres ou mães andarem sem blusa no carro. Muito engraçado...

Decoro precisamos ter nas roupas para ir ao trabalho, sem essa de shortinhos que mais parecem calcinhas, sem essa de chinelos de dedo, sem essa de chegar na empresa mostrando todos os riscos feitos no corpo, há clientes, colegas, diretores, muita gente a ser respeita, é preciso decoro, decência.

É preciso decoro ao falar. Dia destes, uma idiota, cantora, disse que depois que se tornou vegetariana seus puns não fedem mais... Mas a cabeça dela continua fedendo. Uma outra, lá no RS, tira fotos nua na frente de um espelho, conta a história de que um hacker invadiu a privacidade dela e pôs as fotos para o mundo ver... Mas disse também que ela não está nem aí. E o pudor onde ficou? E por que aquelas fotos, para quem? Decoro, pudor, recato, tudo em extinção?

Temos que nos cuidar e não esquecer que o ser humano se revela por todos os poros, imagine, então, pelas roupas, pelas palavras, pelos gestos, pelas intenções. Credo, que gentalha!

Justiça

Será mesmo que alguém pode fazer o bem e virar a página, não esperar qualquer “troco”? Não creio. No meu horóscopo de aquariano li que – “Faça a graça, mas desapegue-se do resultado, não esperar que o bem produza como resposta o bem...” Parei de ler. Só o que faltava, você faz uma gentileza e recebe de troco ou a absoluta desatenção ou uma grosseria, uma patada da falta de educação? Só o que faltava. É uma vez só...

Modos

Quando falei de decoro, de bons modos, esqueci de dizer que decoro, bons modos também passam por colegas que tossem ou espirram sem lenço, sem proteger a boca, quase na cara dos companheiros que estão por perto. Regra quase geral. Uma exceção? Não lembro. Faltou educação na infância e falta sensibilidade agora. Pobres diabos mal-educados!

Falta dizer

Aviso aos navegantes da maternidade/paternidade: quando uma criança chora, se joga no chão pedindo por algo, faz escândalos públicos, o melhor remédio é ignorá-la. Não há birra sem plateia. As mães não devem dar a mínima para esse tipo de criança safada, aliás, mal-educadas por eles, pais. E se for num shopping a cena, que a mãe vá embora, a criança logo correrá atrás, sem choro... Pequena/o vigarista.