Um único gesto de uma pessoa, que mais das vezes pode passar despercebido por muitos ou pela maioria, pode revelar a essência de uma personalidade. E a observação desse gesto tanto pode inviabilizar um negócio quanto um casamento, basta que o observador seja um tanto exigente... Tratam-se de pessoas que produzem asco e rejeição. Já dou um exemplo. Acabei de ler num dos jornais de São Paulo sobre um assunto que está rigorosamente na ordem do dia e que por ser negligenciado por muitos, muitos já morreram por essa desatenção. O tema do jornal tratava dos perigos “das gripes” que andam por aí e que já deixaram de ser apenas gripes, são casos sérios e, não raro, mortais... Mas não é das gripes propriamente que quero falar. O jornal destacava os meios de infecção dos diversos vírus que andam por aí derrubando pessoas. Um dos destaques foi “a inalação do vírus por gotículas de tosse ou espirro”. Enfatizava-se que se pode contrair o vírus, a gripe mortal, pela inalação das gotículas emitidas quando uma pessoa espirra ou tosse. Era aqui que eu queria chegar. Vamos lá. A leitora tem aí, à mão, um lenço? E o leitor, tem? A maioria nem sabe o que é um lenço no bolso ou na bolsa, usam os dedos... Ninguém tem o direito de tossir ou espirrar, mesmo sozinho e no meio do mato, sem lenço, sem qualquer proteção diante da boca. É crime hediondo contra os bons modos e o respeito aos outros. Todavia, é o que mais vejo nos corredores da empresa, nas filas no banco, nas paradas de ônibus, dentro de casa, no cinema, no teatro, dentro da sala de aula, no inferno, enfim... O que mais se vê é gente tosca tossindo e espirrando como se estivessem sozinhos no mundo. Aliás, já foi definida uma pessoa elegante como aquela que estando sozinha e numa sala escura, põe a mão diante da boca quando boceja... Uma pessoa se revela por inteiro ao tossir e espirrar. Cansei de estar na mesa de telejornal e a pessoa ao meu lado, homem ou mulher, dar um espirro ou tossir a quase jogar o pulmão pela boca, uma estúpida falta de educação. É regra geral. Geral, eu disse. A gripe anda por aí, matando. E a tosse e o espirro das pessoas as matam antes o encanto, o charme eventual que podiam ter. Imagine um tipo desses no casamento. Credo. Aliás, devem ser os mesmos que deixam a porta do banheiro aberta...

LEIA A COLUNA COMPLETA NA VERSÃO DIGITAL DO JORNAL O CORREIO DO POVO