Uma boa amiga tem que ser um pouco “louca”. Sim, você ouviu bem, tem que ser um pouco louca. Deixe-me dar algumas voltas e abro o jogo.

Já contei aqui, miríade de vezes, de uma provocação que um professor de Sociologia fez a nós, estudantes de Psicologia, numa de suas aulas. Ele pediu que levantassem o dedo quem, entre nós, alunos, tinha três amigos. AMIGOS, enfatizou ele. E acrescentou: “Pai e mãe não valem, irmãos vale”. Insinuou que nossos pais são nossos amigos, mas que os irmãos nem sempre... Sábio. O professor, um capitão do Exército, sabia que “ninguém” tem três amigos, você pode ter muitos “conhecidos”, AMIGOS não; não sejamos ingênuos.

Como disse, a melhor amiga de uma mulher tem que ter algo de “louca”. As “equilibradas” não metem a colher em briga de marido e mulher. Foi-se o tempo em que se dizia essa baboseira. Amigos têm sim que meter a colher quando o caldo engrossa.

Se a AMIGA fica sabendo que sua amiga anda sendo maltratada, apanhando do marido, ela denuncia o vagabundo, queira a amiga queira, quer não. Sem essa de ficar fazendo perguntinhas estúpidas do tipo – O que tu fizeste para ele te bater? Nada do que uma mulher tenha feito justifica que um macho impotente a surre. Aliás, esse tipo de covarde só bate porque tem mais força física que a mulher, ele não bate em caras do tamanho dele, não bate.

A verdadeira amiga não se vai calar sabendo que a parceira anda sofrendo, ela vai reagir e, como amiga mesmo, vai denunciar o ordinário. Isso é amiga.

Ao longo do meu trabalho, testemunhei muitos (falsos) amigos pondo lenha na fogueira, agindo no sentido contrário ao que devem fazer os bons amigos. Cansei de ver sujeitos dizendo que “iam lá dentro dizer uns desaforos àquele gerentezinho...”. E o que mais ouviam dos “amigos” era: Tens razão, cara, esse gerente não presta mesmo, tens razão”.

E o encrencado “ia lá dentro”, dizia o que tinha para dizer e... voltava demitido. Num caso assim, quem de fato é amigo puxa o nervoso pela camisa, o faz sentar e ouvir poucas e boas: - Tu não és louco, para com isso... e blábláblá. O nervoso se acalma, não diz nada ao gerente e ficam todos felizes... por muito tempo. Mas, por favor, aonde andam esses amigos e melhores amigas?

Denúncias

Quantas crianças deixaram de sofrer, quantas jovens indefesas foram arrebatadas de violadores sexuais, quantos animaizinhos foram salvos de maus-tratos, quantos foram salvos de crimes de todo tipo por meio de uma denúncia? Os fora-da-lei criminalizaram as denúncias, chamando os denunciadores de alcaguetes, dedos-duros, isso e mais aquilo. Denunciar verdades não é crime, é ação bendita. Não se cale, denuncie.

Vida

Alguém tem que erguer a voz para as meninas, especialmente para as mais pobres, e dizer a elas que estabilidade e segurança são importantes na vida sim, mas... que liberdade e independência o são muito mais. Casar para “amarrar o burrinho na sombra” é indigesto e lhes vai custar muito caro. Aviso dado, mas, sei, inútil.

Falta dizer

É bom lembrar, faz bem à saúde, que as danações de que costumamos fugir estão dentro de nós. Medo e coragem, dentro de nós. Loucuras e equilíbrios, dentro de nós. Tudo. Dia destes, fazia muito frio, tive que lavar a cara numa água geladíssima, mas... Eu estava com uma belíssima recordação na cabeça, lavei a cara na água gelada e nada senti... Por quê? Porque o pensamento não estava na água, estava na coisa boa. Nossa cabeça é céu e inferno.