Dependendo de quem faz a frase, dou um desconto... Ou não. Acabei de ler uma frase atribuída ao poeta russo Wladimir Maiakovski – 1926. Ele disse que – “Melhor morrer de vodca que de tédio”. Frase de poeta, pois não? A vodca, como de resto qualquer droga, é um “sedativo” depois do segundo gole... Encharcar-se de vodca, ou consumir qualquer droga , não é prazer, é fuga. Todos os vícios são fugas. Viajar constantemente é fuga, há quem pense que é lazer, que é viver a vida no seu melhor prazer, é isso, é aquilo... Não é nada disso, mais das vezes, viajar é fugir. Sei que muitos vão fazer bico, faz parte, poucos gostam de ouvir verdades... O tédio, amigão Maiakovski, é gerado por uma rotina de pessoas que não se respeitam, que têm medo de ousar, de arriscar, de criar novas vidas dentro da mesma vida. Tédio resulta de deixar-se a pessoa arrastar-se pelo mesmo, pelo repetitivo, pelo sem-graça todos os dias. Claro que esse tipo de vida deprime. Mas aí é que está, somos livres para criar e viver, não para fugir e beber. Não nos damos conta, pelo menos a maioria, de que fazemos todos os dias quase tudo por igual e nos mesmos momentos. Poucos se dão conta de que falamos dos mesmos assuntos e sob os mesmos argumentos, quase impossível sair desse automatismo sem consciência. Abrir as janelinhas da testa, da cabeça, viajar sem sair do lugar, ler, criar, ousar pensar diferente, descobrir todos os dias, todos, algo de novo, ainda que insignificante e quase imperceptível, renovar-se, enfim, é a melhor proposta. Tédio é dar-se por acabado, sou assim e não vou mudar, sou assim e vou morrer assim! Bah, já morreu, companheira/o. E olhe, não vamos longe, por que os casamentos estão durando pouco e quando duram se arrastam sem graça? Ora, porque as repetições provocam enfado, não há mais novidades nele ou nela. E como nem ela nem ele toma qualquer iniciativa “renovadora”, a coisa se arrasta até o cartório para a assinatura do divórcio. E não são poucos os que depois olham para trás e suspiram: - Poxa, não estava tão ruim, ele não era tão chato assim; ou ela não era tão enjoada assim. É tarde. Ah, e não tentem reatar, vai ser pior. As coisas na vida têm hora, hora de plantar, hora de colher. Errou no plantio, vêm as lágrimas e o tédio de estar sozinho. E tédio é para os fracos. Tempo Vão perder tempo. A Amazon – gigante global do comércio eletrônico – vai permitir que sebos e pequenas livrarias vendam livros usados pelo seu site... Não vão vender nem para o cafezinho. Quem quer ler sabe que ali na esquina pode comprar livros de qualidade, já lidos, por 5 ou 6 reais. Ou menos. Dizer que o livro é caro, velho ou novo, é falta de pudor. Argumento de vadios. Falta dizer Diz uma veterana colunista num jornal de São Paulo – “Dominação masculina exige que as mulheres mais velhas sejam discretas, apagadas e invisíveis”. Mande-os pastar, senhoras! Babacões não admitem mulheres com sangue nas veias...