A sagacidade dos ditados populares é de tirar o chapéu. O povo resume em poucas palavras o que “sábios” escrevem em longos compêndios. Uma frase de parachoque de caminhão, não raro, vale por uma longa sessão de psicanálise... Exemplo? “De boas intenções o inferno está cheio”. Essa frase é preciosa, ela simplesmente quer dizer que muitas vezes tentamos desenhar de boa vontade um beija-flor e acabamos desenhando um morcego... Acabo de ler sobre uma “novidade” criada por assistentes sociais de Lisboa, Portugal, que me deixou arrepiado, com nojo, com raiva e punhos fechados – Ah, se eu pudesse pegá-los! Antes de dizer do que se trata, é bom lembrar que a vida é como uma conta bancária, uma poupança: você – lá adiante – no caso humano, na velhice – vai ter e poder sacar o que tenha antes depositado... Tudo o que tivermos feito de bom durante os anos mais verdes da vida será colhido na velhice, mas... Mas a maioria não semeia e muitos, ainda assim, querem colher. Não vão. E foi essa verdade que levou alguns portugueses a criarem uma atividade de lazer para multidões de velhos que se arrastam na vida, posto que tenham boa saúde. “Posto que” significa embora e não “já que” como escrevem “eruditos” de grandes jornais brasileiros. Voltando ao assunto. Velhos com saúde mas de vidas vazias, sem fazer nada, criando problemas para suas famílias e para a Previdência Social, inúteis e gemendo a velhice. E o que fizeram os tais assistentes sociais de Lisboa? Criaram o projeto Idosos no Grafite. É isso mesmo, idosos no grafite, que consiste em saírem bandos de idosos a grafitar, pintar muros, paredes, o que acharem pela frente nas ruas de Lisboa. Agora me diga se pode uma coisa dessas! E aí aparecem histórias do tipo, - “Ah, a dona fulana já tem 60 anos (ora, 60 anos para uma mulher com saúde e boa cabeça é idade de adolescente...) tem 60 anos, estava depressiva e queria morrer. Agora está forte, feliz e com várias latas de spray para grafitar paredes e muros”!... Essa história bem ilustra o resultado das vidas vazias durante a juventude, isto é, pessoas que não desenvolveram a cabeça para depender delas mesmas, sem ansiedades, estresses ou depressões “senis”. Isso só acontece com os que não se preparam para a velhice, e a velhice começa ao nascermos. Só o que faltava, velhos pichando paredes e muros alheios porque estão depressivos, só o que faltava. Tática Uma das mais frequentes razões para desentendimentos, brigas mesmo, em condomínios é alguém deixar o carro mal estacionado nas vagas comuns. É de pegar esse tipo de gente e fazê-la maldizer o momento de nascer... Será que fui claro? É o que tem que ser feito. Tem que ser feito! Falta dizer Aviso. Idiotas que repensem a vida, na hora da formatura, diante dos professores e das famílias, não é momento de fazer protestos, como um estúpido fez no Rio Grande do Sul, dia destes. Foi de salto alto, de mulher, receber o diploma... Faz isso na minha delegacia, faz!