Só depende de você

Colunistas

Por: Luiz Carlos Prates

quinta-feira, 04:00 - 15/09/2016

Luiz Carlos Prates
Pegar o bonde andando é perigoso, mais das vezes ela se relaciona à gente oportunista, os que querem gozar de algum benefício sem antes tê-lo feito por merecer, mas... Acabei de pegar um bonde andando, o bonde é uma frase. Você sabe que toda frase se pode prestar a múltiplios usos, é só querer e adaptá-la ao nosso momento. Foi o que me aconteceu agora. Como sou fã dessa mulher, a americana Elizabeth Gilbert, autora, dentre outros, do magnífico livro “Comer, Rezar, Amar”, uma amiga me emprestou esse livro. Ao abri-lo, em casa, dei de cara com uma frase que havia sido sublinhada pela leitora anterior... A frase resultava de todo um contexto descrito antes pela autora do livro sobre criatividade, ousadias, essas coiss, mas tomei a frase sublinhada como um tapa na cara e uma mensagem “do além”... Do além da falta de vergonha... A frase riscada em vermelho era esta: - só depende de você. Fechei o livro, deixei-o para depois. De fato, só depende de mim, de você, do Pedro, do João, da Maria... Só depende de cada um de nós. E as coisas só dependem de nós porque não somos loucos para nos meter onde não é nossa praia e sonhar com o que sabemos ser impossível, papa ou rainha da Inglaterra, por exemplo... Fora disso, podemos tudo, só depende de nós. Sua vida amorosa está boa? E sua vida financeira? No seu trabalho as coisas rolam em paz? E olhe, até sua saúde... Tudo bem? Pois é, se alguma resposta foi negativa – “só depende de você” mudá-la. Só de você. E vou mais longe, talvez o que mais lhe falte, a mim também, seja levantar da cadeira do comodismo/medo e dar um basta ao que nos incomoda, dinheiro, chefe, amor, e até, e muito, os problemas de saúde. Quem não sabe que marcamos dia e hora para adoecer? Freud ficou famoso por dizer e provar essa verdade. O livro que me foi emprestado é excelente, da mesma autora que já incomodou mulheres acomodadas, que casam com homens de algum dinheiro e que as dispensam de trabalhar. E elas, tontas, ficam na moita e se dão por vencidas pelo “chefe”, muito lamentável, mas é a verdade de muitas. Que elas acordem e leiam Elizabeth Gilbert, “só depende delas”... Respeito Em todas as cidades é a mesma coisa. Basta o boyzinho ser identificado como filho de algum empresário ou que o pai dele tenha uma loja, mais ou menos isso, para que haja um corredor de garotas levianas atrás dele, tentando namorá-lo. Que falta de respeito! Engraçado, os rapazes, por maioria, não são assim. Por que elas, por maioria também, não se respeitam? Depois vão se queixar e chorar, quem avisa... Falta dizer Já ouvi muito dizerem e cantarem que amar é sofrer. Negativo. Os bons amores não fazem sofrer, os que fazem não são bons. E de quem é a culpa do sofrimento? Bolas, sempre de quem sofre, escolheu errado.
×