Sem desculpas

Colunistas

Por: Luiz Carlos Prates

sexta-feira, 06:00 - 04/03/2016

Luiz Carlos Prates
Se de fato for verdade – e é – que 85% dos nossos pensamentos durante o dia são negativos, aí estará boa razão para entendermos nossas apatias e mediocridades na vida. São poucas as pessoas naturalmente indômitas, motivadas, faceiras com a vida, poucas, bem poucas. A maioria anda por aí simplesmente andando por aí... Uma das frases mais comuns que você ouve, e talvez até a diga, é – “Não tenho tempo”, diante de um desejo, sonhos, desafio, o que for, algo que você quer, deseja, mas que vai deixando pelo caminho porque não tem tempo... Aliás, sobre isso, se você quiser que alguém faça a você um favor, um trabalho especial, peça-o para uma pessoa muito ocupada. Essa pessoa terá tempo para ajudá-la, mas se pedir para uma pessoa comum, não a quero chamar de vadia, ah, essa não tem tempo... Pode fazer o teste na sua empresa, com seus amigos, onde for... Uma outra frase comum de que se valem os humanos para não agir é dizer que – “ah, não sinto vontade de fazer isso”... A razão dessas frases não passa de uma desculpa buscada nos porões do inconsciente e que nos estabilizam as emoções, afinal, não tenho o que desejo, não faço o que gostaria porque não tenho tempo ou simplesmente não quero... Tudo mentira, a pior das mentiras: a que contamos a nós mesmos. Deixar para amanhã é também um bom artifício, uma boa desculpa. Não faço hoje, mas amanhã vou fazer, sem falta. E vem o amanhã e a “peça” não faz, fica no mesmo lugar. Então que fique claro, pobreza, mediocridade, insatisfação com a colheita na horta da vida tudo tem sua razão na própria pessoa. Sem essa de que nasci pobre e ninguém me ajuda, sem essa. O mundo conhece uma formidável lista de “lírios que nasceram no lodo” e se deram muito bem na vida, então, sem essa de arrumar desculpas. E olhe, e para terminar essa arenga enjoada, o ano letivo está no início, é bom dizer agora, dizer olho no olho, com cara amarrada e dedo em riste para os filhos: não inventem desculpas, o ano está começando, as notas de vocês só vão depender de vocês, se não estudarem vão entrar na lenha, sem desculpas, entenderam? E dito isto, que o pai ou a mãe vá beber água e deixe os pivetes pensando na vida... É agora ou nunca mais.

LEIA A COLUNA COMPLETA NA VERSÃO DIGITAL DO JORNAL O CORREIO DO POVO

×