Em todos nós há um tribunal de censura permanente, é o superego dos valores morais. Sabemos o que é errado e sabemos o que é correto e nos convém, porém... Andar na linha faz mal à reputação, faz mal no mundo de hoje, onde o errado é o certo.

Em razão disso, as pessoas andam estonteadas, você nem imagina. Muitos dos que você pensa serem pessoas alinhadas, centradas no correto, coitadas, andam dando com a cabeça nas paredes, mas... fingindo que são pessoas do bem e que vivem bem. Pobres!

Chega, estou indo longe demais e não digo o que precisa ser dito. Quem vai falar agora e pelos próximos segundos será um médico, muito conhecido, aparece na televisão e tal... Mais não digo, o que importa é o que ele diz, vamos ouvi-lo:

- “Relaxamos na educação. As campanhas públicas (de educação de saúde e sexual) pelos meios de comunicação de massa desapareceram, a educação sexual nas escolas enfrenta barreiras impostas por religiosos, pelos moralistas das horas vagas e por grupos de conservadores medievais”. Aplausos, doutor, o senhor tem toda a razão, todíssima.

Mais adiante, diz o médico: - “Aids é uma doença crônica que exige exames laboratoriais, imagens radiológicas, internações hospitalares e tratamento medicamentoso pelo resto da vida”. Outra vez, corretíssimo, doutor!

A indignação do médico tem por razão o descuido generalizado em que a contaminação do vírus da Aids entrou no dia a dia das pessoas. Gurias saem de casa para ir a baladas, fazem sexo orgíaco com seus namorados, com seus conhecidos, e como são mulheres não têm força para “exigir” o uso da camisinha.

São milhares as infectadas e que ainda não desenvolveram sintomas, mas vão arder na hora em que se descobrirem infectadas. Algumas nem vão saber quem as infectou. E gente “boa”, filhinhas e filhinhos de papais, infectados.

Quantas mulheres casadas “sabem”, sabem de pés juntos, que seus maridos são uns safados, mentirosos, vagabundos, mas... gente fina, de boa presença social... Canalhas. E elas, frouxas.

Muitos ingênuos, não os quero chamar de ignorantes, acham que a Aids já tem cura, que as infecções de HPV não matam, que o sexo hoje pode ser feito de qualquer jeito... Gente “boa” pensa assim. E para se defender dizem: - “Ah, mas eu sei com quem ando...”. São as piores. “As”, eu disse. Aviso dado.

Cruzes

Graças a Deus há quem pesquise de tudo. Psicólogos de Oxford, GB, garantem que a pessoa que tem milhões e milhões de seguidores na Internet teria, no máximo, 150 dessas pessoas em seu funeral. Teria, sem garantias. Então, companheiros, caiamos na realidade, bem melhor é ser anônimo, competente, bem-sucedido e feliz do que enganar-se com seguidores-do-nada. Melhor é ter raros e bons parceiros que multidões de nadas...

Fala

Nas entrevistas de emprego é o que mais reprova candidatos, nas conversas sociais é o que mais cativa... O que é? Dizer à pessoa que está à nossa frente: “Fale-me sobre você”. Vibramos quando nos dão essa trela para a nossa vaidade. Mas... nos revelamos da cabeça aos sapatos ao fazermos. Otários. A melhor língua é a língua quieta dentro de uma boca fechada. Os “misteriosos” magnetizam.

Falta dizer

Os “filhinhos” andam soltos. Manchete: - “Quase metade dos jovens brasileiros com diploma está fora da área de formação”. Pudera. Os mandriões vão para faculdades da moda, do status ou a conselho/pressões dos pais. Os “nenês” descobrem depois que não era nada daquilo, o que queriam era... nem sabem. Perderam tempo. A grande maioria, bah!