Não é de hoje, faz tempo que circulo pelos canais de TV a procurar por algo que valha a pena. Dificílimo achar. Não desisto, vou girando, girando, até que... Vejo alguém num desses programas da tarde conversando. Paro para ouvir.

Quase sempre vale a pena, malgrado ser histórias bem rasteirinhas. Esta semana, por exemplo, dei de cara com uma mulher que chorava num desses programas. Um choro que não me convenceu, mas... Ela chorava.

E contava à apresentadora que já tivera tudo na vida e que hoje não tinha nada... Em resumo, leitora, essa a história. Claro, a mulher deu detalhes desse “tudo” que ela tivera e perdera. Foi-me suficiente para lembrar de duas coisas: a primeira é que derrotas na vida não significam fracasso.

Pobre de quem se veja fracassado na vida. Fracasso não tem volta, derrota tem. Aliás, há um velho ditado militar que diz que perder uma batalha não significa perder a guerra.

E a segunda coisa que a tal chorosa da televisão me fez lembrar foi que não conheço nenhum grande empresário ou pessoa bem-sucedida que não tenha tropeçado várias vezes na vida. Não existe isso de alguém sair do zero e chegar aos 10 sem tropeçar, impossível.

São as quedas, as derrotas que nos alicerçam o pavimento para o sucesso. Muitas perdem o namorado ou se separam do marido e caem em desgraça existencial. Negativo, comadre.

Esse “abandono” que viveste de parte do calça-frouxa com certeza foi o teu degrau para uma vida melhor. Aliás, é o que vai acontecer; claro, se aprenderes com a derrota. Se não aprenderes, bom, aí estarás conhecendo o fracasso na vida.

Perder o emprego, perder dinheiro, perder um marido, a mulher, o que for, não é fracasso, é jogo da vida. Não estou falando de perder no sentido de perder para a morte, não, não é isso. O mais se pode recuperar com a consciência do aqui e agora.

Tiveste tudo e agora não tens nada? Mas tens saúde? Tens tudo. O mais é partir para novas batalhas, a guerra não foi perdida.

Ai, Prates, que psicologia de botequim, essa tua! Concordo, mas é a melhor. Ou isso, ou o fracasso na vida. Levanta-te e anda, diziam os assírios antigos diante de alguém que acabara de sofrer uma “derrota” na batalha da vida.

Milagre

Acredito em milagres. E você sabe que milagres são possibilidades humanas, criadas pelo ser humano. Não há outro tipo de milagre, o mais são embustes religiosos.

Creio, por exemplo, que um dia esta manchete será outra: - “Isolamento social alimenta mercado de games”. Alimenta para quem? Para os bermudões? Sim, e para os filhos deles.

O milagre que espero é este: -“Isolamento social faz crescer a venda de livros”. Tudo é possível ao que crê.

Livres

Safados de todo tipo, delinquentes, bandidos mesmo, foram condenados e estavam presos. Estavam. Em razão do vírus, os bandidos foram mandados para casa para evitar serem contagiados, eles que tinham idade perigosa para isso.

Menos de 5% mandam sinais de vida, os outros sumiram. Quem os liberou tem que ser preso, até que os bandidos voltem. Preso. Ou as vítimas dos bandidos foram ouvidas? Hora de reação!

Falta dizer

Minha maior força a todos os policiais que, sozinhos, buscam colocar em ordem o circo brasileiro da falta de respeito.

Gentalha sem máscaras, festas orgíacas em condomínios e residências “finas” e, sobretudo, dar voz de prisão ou “mais” que isso a “doutores” que engrossam a voz quando pegados fora da lei. Aplausos, policiais.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul