Já falei desse assunto aqui, mas, como você sabe, as coisas vêm e vão, ad aeternum... A manchete, dos meus arquivos, jornal de São Paulo, diz assim – “Criança religiosa não é a mais boazinha”.

A pesquisa foi feita, é claro, por americanos, Universidade de Chicago. E as tais crianças religiosas não são mais boazinhas que as outras, as não religiosas. Não é estranho isso? Não, não para mim.

Fui “educado”, cresci, e me formei na PUC/RS ouvindo mentiras religiosas, mentiras ardilosas, bem pensadas, calculadas, coisas tão antigas quanto os teatrais Adão e Eva. E porque as crianças não religiosas são melhores que as religiosas?

Penso que porque em todos nós, há um saber, uma inconsciente intuição, que nos leva às verdades maiores.

Dizer a uma criança que ela não faça isso ou aquilo porque deus está vendo, deus não gosta, é provocar a consciência básica da criança. Ela não crê no que ela não vê e não ouve, ouve dos pais, dos professores, de estranhos, mas isso não é ouvir a “verdade”.

Diante dessa verdade, haja vista, e já comentei isso aqui, não há ateus nas prisões, pesquisas repetidas também comprovaram isso. O cara esgoelou a vovozinha e tem tatuagens nos braços: “Deus é fiel”. Tem cabimento?

O que temos que pôr na cabeça das crianças é educação moral e cívica. Se o fizermos, a criança crescerá muito melhor que as crianças falsamente religiosas. É isso o que os pais tapados têm que saber ou aprender.

Educar é a palavra mágica. Educar, todos devemos saber, não é instruir, instruir é de responsabilidade da escola. Educar é discutir e transmitir valores morais, bons valores, é claro.

Feito isso, é deixar a criança livre para correr pelas avenidas da vida, e ela dificilmente se “perderá”, dificilmente acabará numa delegacia ou em situação pior e final...

E o que mais se vê nas famílias, nas ruas, nas escolas, nos shoppings? Crianças demoníacas, insuportáveis de tão mal-educadas, safadas, mas... Todas sabem rezar e fazer sinais na testa...

Educação encurta o caminho para o “céu”, os educados são melhores, as crianças religiosas não o são. Quem diz isso são americanos de Michigan. Quem quiser fazer bico, converse com eles. A melhor oração para uma criança é o catecismo da educação moral e cívica. Não foi o que me ensinaram... Bandidos!

Cuidados

Eu tinha deixado passar. Descuido imperdoável.

Em novembro passado a Folha noticiou esta manchete: - “Stents não são melhores que remédios para prevenir infarto”.

E embaixo, lia-se: - “A Justiça Federal de Passo Fundo – RS – aceitou denúncia de estelionato contra três médicos que teriam falsificado o resultado de exames de pacientes, apontando 'severidade da lesão em artérias coronárias' para justificar a colocação dos stents”.

Crime bárbaro. Ouça o resto...

Crime

Na sequência da reportagem acima citada, lia-se: - “Uma auditoria do SUS concluiu que em 75 casos foram colocados stents em artérias coronárias com lesões leves”.

Em outros 94 casos, os implantes nem sequer foram colocados, mas a conta foi repassada ao SUS. E será que todos esses “médicos” foram devidamente cassados e “justiçados”? Abra o olho, você que está nessa ou perto dessa...

Falta dizer

Quando ordinários em campanha prometem “saúde, educação e segurança pública” para os eleitores, alguém tem que subir ao palanque, pegá-los pelo pescoço (literalmente) e obrigá-los a escrever num papel as promessas que estão sendo feitas.

Olhe como está o Brasil – sem hospitais, sem escolas e sem segurança... – Ah, pegar pelo cangote! O momento está chegando...

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul