Relaxar e...

Colunistas

Por: Luiz Carlos Prates

sexta-feira, 04:00 - 17/06/2016

Luiz Carlos Prates
A repetição é muito desagradável, especialmente quando a repetição bate na surrada tecla das obviedades. Um exemplo? Pois não. Nossos sofrimentos vêm inteiramente da nossa consciência, dos nossos pensamentos. Não havendo pensamentos não haverá consciência, sofrimento. Afinal, todos sabemos que o que não está na mente não estará no coração... Acabei de ouvir um psicanalista num programa de tevê. Conversa vai, conversa vem, ele disse que a ansiedade vem dos pensamentos de futuro e a depressão do passado. Obviedade? Sem dúvida. Mas quem pode dizer que não? Nos apegamos aos nossos “imaginados” bons momentos do passado e caímos em depressão. A depressão nunca vem do futuro, do futuro vêm as ansiedades, isto é, os medos. Quando não temos certeza do que nos vai ou pode acontecer, tememos; quando achamos que o passado foi melhor que o presente, afundamos. Alguma saída? Sim. A saída é a velha proposta do desapegar-se. Apegados ao passado, a mais refinada das estupidezes, não olhamos para a frente, o passado não nos pode ajudar nem a ele voltar. O passado só deve servir de “professor”, de lições a não repetirmos no presente e menos ainda no futuro. O que se pode fazer é melhorar hoje o que ontem foi feito bem ou até mesmo muito bem. Nada mais. E quanto ao futuro, bom, quanto ao futuro temos nossa parte a fazer: Ser honesto, dedicado, esforçado e “confiante” é o caminho para diminuirmos os riscos no futuro. Veja bem, diminuir, eu disse. A nossa parte em relação às cotas de participação no futuro não passa de 50%, os outros 50% ficam nas mãos do imponderável ou de Deus, para quem crê. Sabemos que não raro as coisas saem bem diferentes do que imaginamos, é o tal imponderável. E se esse imponderável faz parte do jogo da vida, por que não relaxar e esperar por ele, claro, fazendo antes a nossa parte?... Ah, e para terminar esta conversa de vai-e-vem sobre obviedades, convém não esquecer que “tentar” viver no aqui e agora, a velha proposta dos budistas, é a melhor saída, talvez a única a diminuir as ansiedades. O difícil é mandar o passado ao devido lugar e o futuro que cuide dele mesmo... Que façamos bom uso dos nossos 50% que temos de ações sobre ele, o futuro. O resto é relaxar e... Não tenho coragem para dizer... Ligações E o que dizer dos ordinários que fazem uma ligação telefônica errada e dizem que querem falar com o fulano ou fulana... Você diz que eles ligaram errado e eles, ato contínuo, batem com o telefone, incapazes de dizer, opa, desculpe! Incapazes. Mas pensando bem, o que mesmo esperar dessa gente tosca e sem educação? As pessoas se revelam por todos os poros, nada as dissimula. Falta dizer A cabeça humana é um caso... Diz um publicitário numa revista: você quer vender na sua loja uma bolsa que custa 2,5 mil. Muito cara, pois não? Faça o seguinte: coloque essa bolsa ao lado de outra que custe 4,0 mil. As bolsas de 2,5 vão vender como pão quente, serão “baratas” para muita gente... Boa psicologia vende tudo.
×