Todos nós vivemos fora da casinha em algum aspecto, a diferença entre nós e os outros está no tipo de “casinha” e na graduação da intensidade das nossas loucuras ou dos nossos desacertos na vida.

Clareando a conversa, todos nós, desde que alguém, e nunca se vai saber quem foi esse alguém, deu o primeiro vagido sobre à Terra, vivemos fora da casinha. Mas você sabe que há muitos tipos de “casinhas”, afinal, não é de hoje que se diz que “cada louco com sua mania”. A mania é a “casinha”…

Todos queremos saúde, viver muito e ser feliz, certo? Quem disser que não já estará gravemente fora da casinha. E para termos saúde – com as consequentes longevidade e felicidade – fazemos ou seguimos ritos mandados pelos outros. Por exemplo, fazer exercícios, sair do sedentarismo. E era aqui que eu queria chegar, deixo outras questões para outro dia.

Todos os dias vejo gente curvada pela idade fazendo, ou tentando fazer, exercícios. Mais das vezes “velhos”, homens ridículos. Por que ridículos? Porque saem às ruas ou se metem em academias para fazer exercícios ao corpo físico, mas esquecem que no “andar de cima” são umas nulidades.

— Ai, cara, que grossura, não podes ser mais educado”? Não, nesse caso não posso. Faz nenhum sentido o sujeito se exercitar, fazer tipos com o corpo físico e nada com a cabeça. O que nos vai garantir saúde – salvo em casos excepcionais e bem definidos – são os exercícios da cabeça, a saúde desse “andar de cima” do corpo físico humano.

Muitos dos velhos que andam por aí tentando ser musculosos e bem apanhados, que saem para caminhadas na Beira-Mar, vão depois entrar na fila dos idosos no banco. Safados. Duas caras. Quem tem saúde e auto-respeito não entra em fila de idosos, não busca favores gerados pela idade...

Precisamos de “academias” para as cabeças, chega de academias para o corpo físico, de nada adiantam se o sujeito no “andar de cima” andar fora da casinha... É a cabeça, o modo de pensar, a correta percepção da vida, os conhecimentos e os exercícios continuados dos diversos processos cognitivos que nos vão dar saúde, paz, longevidade e, aí sim, pode ser, felicidade. Fora disso é querer ser feliz fora da casinha. Já para dentro!

Metidos

Quem são os metidos? Bestalhões em alto cargos de “poder” e por aí afora. Tem que haver, e não há, censura medieval às obscenidades na televisão.

Tudo está num liberou geral… Ontem, uma conhecida, desbocada e debochada apresentadora de TV disse numa entrevista que ela na cama faz tudo, dá tudo, só não dá o c… Disse com todas as letras.

E já disse pior, e nada acontece. Tudo na “brincadeira”. Sem falar nas danças de funk (lixo puro) que imitam agressivamente gestos sexuais. E há idiotas que acreditam no futuro deste país.

Palavras

Pus a mão na minha caixa de sapatos cheia de frases e saiu esta: -“Tuas atitudes falam tão alto que não consigo ouvir a tua voz”. Irretocável.

De nada vale uma pessoa dizer-se isso ou aquilo, quem fala por ela são os gestos, gestos espontâneos, não pensados. É aí que o bicho pega.

Mas também quem for muito atento nessa “arte” vai ficar solteiro/a... É o preço.

Falta dizer

O cara não foi um qualquer, foi Thomas Jefferson, 3º presidente dos Estados Unidos... Ele disse: – “Temo por minha pátria quando penso que Deus é justo”.

Bah, se Jefferson voltasse e conhecesse o Brasil, o que diria? Cruzes, nem é bom pensar.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul

Facebook Messenger