Pensei em fazer uma pergunta às mulheres e puxei o freio... Por que não fazer essa mesma pergunta aos homens? Porque os homens se acham, pensam que podem tudo, a sociedade, a família, empurra os meninos, bem cedo, para a estupidez, e com isso os homens crescem se achando... A pergunta que me ocorreu fazer às mulheres, mas que também serve para os homens, me veio à lembrança depois de ter lido uma entrevista de um publicitário brasileiro e onde ele contou de uma antiga publicidade dos carros Porsche. Nessa publicidade, dizia-se quem todo homem pode ter uma mulher mas quem tem um Porsche pode ter muitas... Mais ou menos isso. Até fez-me lembrar da publicidade da Audi para carros usados na China, onde o carro usado é comparado à mulher: é preciso boa revisão, boa inspeção antes de comprá-lo, insinuando-se que também a mulher deve ser bem revisada antes de ser escolhida para o casamento... Machismo, prepotência, estupidez Antes de dizer da pergunta que me veio à cabeça e fazê-la para muitas mulheres, devo lembrar que uma pessoa aos 20 anos pensa de um modo; pensa de outro aos 30, pensa bem diferente aos 40... E depois dos 50 é outra pessoa e definitiva... Gostaria de perguntar às mulheres na faixa dos 30 anos o seguinte: - Se vocês tivessem dois pretendentes, um muito pobre, todavia, um sujeito pleno de amor por vocês, de um amor para toda a vida... E de outro lado, um sujeito rico, bem rico, mas... daquele jeito, sim, gostaria de vocês mas... sem muita segurança. Ambos casariam para sempre, um pobre e cheio de amor para sempre, o outro rico, mas perigoso no amor, quem escolheriam? Claro, que da boca para fora, todas diriam que casariam com o pobre cheio de amor para toda a vida... Será? E os homens, diante da mesma pergunta? Aposto, sem machismo, a maioria casaria com a bem pobre, porque, sendo homem, pensaria que amanhã ou depois estaria rico, e ela ficaria ainda mais debaixo das asas dele. É modo de pensar dos homens. Mas e aí, leitora, um amor sincero, para o resto da vida, mas sem fundos nos bolsos ou um ricaço, com todas as garantias de bens materiais para toda a vida, mas... sem essa de amor de cinema, hein? Todo homem pode ter uma mulher, mas quem tem um Porsche pode ter muitas, concordas? Isso já foi texto de publicidade. Memória Uma jovem colega me conta de um curso de memorização que ela está frequentando. Lembrei-a que a memória tem duas mães: o interesse (elevado à paixão) e a repetição. Quanto mais entusiasmo, menos repetição. Mas sem um objetivo forte, sem “sangue” nos estudos, sem um querer bem definido, nada feito, o curso não vai funcionar. Ninguém esquece daquilo por que tem ganas... Falta dizer Volto ao meu rosnado: Vovô, vovó, se vocês estiverem “lúcidos” mandem pastar filhos e netos que lhes vieram pedir empréstimos ou grana viva para qualquer coisa, salvo se for caso de UTI. Mande-os pastar, vagabundos.