Mentir faz bem! Em muitas vezes faz bem. Nada mais detestável do que aquele tipo de amiga, “amigo”, que diz o que pensa, diz na lata. Esse tipo insuportável de gente enfatiza seu ranço: - Ah, eu digo mesmo, se não gosto digo na cara, não consigo mentir!

Gente grossa não entende que o objetivo é poupar pessoas de uma palavra que em nada as vai ajudar, palavra, frase, juízo de valor, o que for...

Acabei de ouvir um sujeito dizer que não gostou do corte de cabelo que a namorada acabara de fazer, mas que não disse nada a ela, pelo contrário, disse que lhe ficou bem. Pô, a guria não deve deixar esse sujeito escapar, ele revela sensibilidade e bom caráter.

A maioria dos homens critica a mulher quando ela corta o cabelo ou põe uma roupa que não se confunda com a cara dele, namorado ou marido. E criticam mesmo que o corte do cabelo ou a roupa tenha ficado bonitos.

Esse tipo de postura, mentir uma saudável mentira ou dizer na cara da pessoa que ela está horrível com aquela roupa ou cabelo, revela a personalidade da pessoa. O tipo rústico costuma falar o que pensa, sem a alta voltagem da boa educação. Revela-se um traste.

No casamento e no local de trabalho, ambientes que nos consomem ou nos dão os melhores prazeres, é importante saber mentir. Ademais, a verdade, quase sempre, não passa de um ponto de vista.

No casamento, marido e mulher que não mentem um ao outro, mentiras saudáveis, quero dizer, não irão longe nesse convívio. Vale, é claro, para os relacionamentos no trabalho, no clube, na igreja, no partido, nos quintais de mãe Joana, enfim.

Minta sem pudores para deixar uma pessoa feliz, para devolver a ela, se for o caso, a esperança, para reafirmar uma boa certeza...

Imagine um médico que de cara mate a esperança de um cliente, de um paciente, aliás, a maioria estúpida de hoje faz mais ou menos isso. É muito burro matar a esperança de uma pessoa, seja no que for.

A vida é plena de “milagres”, de fatos que, por princípio e para muitos, nunca poderiam acontecer. E para terminar esta conversa, leitora, você hoje está ótima. – Ah, e não estou mentindo!

Conselhos

Dia destes uma atriz famosa fez alguns exercícios físicos em casa e passou dicas sobre eles para as seguidoras. Um “conselho” de profissionais de educação física entrou de sola contra ela. Mas ela não estava sendo “professora”, estava mostrando o que ela faz.

Outros “conselhos”, todavia, ficam mudos diante de “coaches” psicoterapeutas clínicos, como se “coaches” existissem com essa habilitação da psicologia. Silêncio conivente.

Ego

“Se eu não me enaltecer, quem vai”? Essa foi a pergunta de uma jovem atriz de novelas. Ela se enaltece, segundo algumas, e a coisa não é bem engolida pelas “seguidoras”.

De fato, precisamos de “exaltação”, faz bem ao ego da vida. Só que... Essa exaltação tem que ser por dentro, nós com nós mesmos, e deve ser o resultado da consciência pelo bem e pelo correto da nossa vida.

O mais é correr atrás do vento, ou uma figa para quem vem atrás...

Falta dizer

Ah, os velhos são grupo de risco para infecções de todo tipo, é? E os jovens estúpidos que estão morrendo como moscas pelo mundo todo em razão de suas boçalidades desrespeitosas?

Corra pelos canais de TV, você vai ver festas e agrupamentos mais que promíscuos, piores que os de Sodoma e Gomorra, tudo numa boa. E as famílias? São “educadoras”... Colham.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul