Acabei de ver uma foto e ler uma declaração de um sujeito que para muitos ainda é conhecido, não diria famoso... Mas antes de dizer da foto e da pessoa, é bom que lembremos que os livros da prudência na vida ensinam que o silêncio é ouro. Um outro mandamento nessa mesma ordem diz: - “Cala-te e ter-te-ão por sábio”. E de onde vêm essas sentenças? Vêm das observações humanas ao longo do tempo. Língua solta é corda no pescoço do linguarudo, além de lhe revelar o caráter, sua personalidade moral.

Vamos aos fatos. Um sujeito que por bom tempo apresentou um telejornal de muito boa audiência, segundo ele mesmo, não aguentou mais e pediu demissão. Pedir demissão é bem melhor que ser demitido. Os demitidos, quando não cuidadosos, saem queimando a língua contra a empresa que os demitiu. Ainda que possam ter razão, quem os ouve fica em dúvida: será que foi mesmo como ele diz? O queixoso nada ganha em sair falando mal da empresa. Nada.

Esse sujeito, “quase” famoso de quem falei, apareceu numa reportagem dizendo que “nunca mais vi o telejornal...”, o que ele apresentava. Pode até ser verdade e não há nada demais nisso, afinal... mas não é bonito dizer isso. Fica a impressão que – inobstante ter pedido demissão – a pessoa está magoada contra a empresa.

Quem sai, seja pela razão que for, não deve, por prudência e autopreservação de sua imagem, sair falando mal da empresa que um dia o abrigou. Não é bonito e leva as pessoas à dúvida, será, será...?

Aliás, dia destes, aqui mesmo, falei que casamento terminado é página virada. Sair falando mal do ex-marido ou da ex-mulher é mesquinho e leva os ouvintes à dúvida. Afinal, ninguém fala mal de si mesmo, e falar mal de quem está longe é muito fácil... Muito feio.

Ainda que pressionados, não é bonito falar mal de quem um dia nos foi parceiro. Melhor é dizer que a vida é de hoje para a frente, o que ficou para trás serve apenas de lembranças... Claro que as pessoas fazem de tudo para que mordamos a isca das tentações, mas segurar a língua é virtude. Salomão, filho de Davi, já dizia isso: “Vigiar a língua é preservar o coração da angústia”. Sábio.

Trabalho

Estagiários e funcionários temporários têm que entrar “furiosos” nas empresas, a saudável fúria do “vou ficar aqui para sempre”. Depende só da pessoa. Daqui a pouco vai começar a seleção para os temporários de fim de ano, entrar pensando em ficar é de boa índole. Sem aquela de entrar “sabendo” que não vai ficar. Quem pensa assim não merece nada na vida. Certo, pessoal? Acho bom.

Balcão

Quem estiver procurando emprego em lojas, bares ou restaurantes, por exemplo, tem que antes ler bons livros de psicologia popular, aperfeiçoar os bons modos, a educação, as palavras gentis, as roupas adequadas, o sorriso espontâneo, o “teatro”, enfim, dos bons vendedores. Caso contrário, a pessoa que vá fazer algum trabalho que não envolva cortesias e bons modos, um trabalho solitário e se possível em casa...

Falta dizer

O pudor, irmão gêmeo da vergonha, coitado, morreu. Morreu sem missa de sétimo dia... Veja esta manchete do site de jornalismo UOL – “Aposentada, 72 anos, sem namorado, diz se virar com seu vibrador”. E aparecia a cara da “senhora” e tudo o mais. Credo, que nojo! Isso sem falar em “atrizinhas” sem graça nem futuro que contam tudo sobre suas experiências sexuais. Que falta de “chinelo” na infância...