Os ridículos

Colunistas

Por: Luiz Carlos Prates

terça-feira, 08:38 - 09/02/2016

Luiz Carlos Prates
Sim, ela tem culpa, muita culpa, mas não tem toda a culpa. De quem falo? Da televisão. Estou entre os críticos mais ásperos ao baixo nível da programação de tevê no Brasil. Programação rasteira, barata, orgíaca, cheia de bizarrices típicas de gente tosca que não se respeita, que não tem definidos valores morais, gente, enfim, que não foi educada. E, nessa condição, é claro, a televisão apenas dá o que está à altura dessa gente. Sem rodeios. E é isso. É uma retroalimentação, povo/tevê. Mas a tevê, de outro lado, é um negócio, tem que buscar público para vender anúncios, e vendendo anúncios, fatura. Esse é o objetivo supremo do capitalismo. Agora, vamos às decadências. Ninguém é obrigado a ligar a tevê. Além disso, a tevê “apenas” coloca no ar o que observa nas esquinas, nas famílias, na sociedade, enfim. Ela observa e devolve isso em forma de programas ao grande público. Mas agora, me diga, de quem é a culpa pela laúza, por exemplo, que está acontecendo em São Paulo, em escolas particulares, em razão da proibição por parte dessas escolas para que a garotas usem shortinhos “de motel”? Essas meninas, presumidamente, de “boas famílias, estão batendo o pezinho, querem porque querem ter o direito de vestir shortinhos/calcinhas. E eu vi fotos desses shortinhos. Santo Deus, nem naqueles bordéis de beira de estrada, nem ali. É preciso que o colégio proíba isso? E os pais, e os bananas dos pais? Nada veem, acham bonito? Ordinários. Depois vão se queixar de abusos por que podem passar suas filhas. Mas também que fique muito claro que essas garotas, ou quem quer que seja, têm o direito de vestir o que bem entendem, tem. A decência, o pudor, o respeito próprio é que deve impedi-las. Vejo, por exemplo, todos os dias, nas praias da Florianópolis, velhos ridículos enfiados em sungas constrangedoras. Do mesmo modo como critico o despudor de meninas de “boas famílias” ao não se respeitarem pelas roupas que insistem usar, digo isso aos velhos ridículos que usam sungas. E velhos metidos, magistrados, médicos, advogados, “grandes” empresários, de tudo. Caras que não têm vergonha do ridículo. Já os garotões usam shorts de surfistas, que tapa eles dão nos velhos ridículos. É isso. Só isso. Mas que cada um pode usar o que bem entender, sem dúvida. É a velha história, nem tudo que é imoral é ilegal. Ponto.

LEIA A COLUNA COMPLETA NA VERSÃO DIGITAL DO JORNAL O CORREIO DO POVO

×