O relógio revela

Colunistas

Por: Luiz Carlos Prates

quinta-feira, 04:00 - 10/03/2016

Luiz Carlos Prates
Aprendi no primeiro dia de aula no curso de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica, RS, que – o ser humano se revela por todos os poros. Basta que tenhamos olhos de perceber e ouvidos de escutar, logo vamos conhecer a outra pessoa. Você sabe que perceber é mais que ver, é jogar a mente sobre o que é visto; e escutar é mais que ouvir, é jogar a mente sobre o que é ouvido. Mais das vezes, apenas vemos e ouvimos, sem ver nem ouvir. Modificando a frase inicial – o ser humano se revela por todos os poros – talvez fique melhor dizer que – o ser humano se trai por todos os poros. Fica melhor, sem dúvida. Dito isso, leitora, leitor, fico sem ar ao ver tanta gente irresponsável, desatenta ou mal-educada se revelando, se traindo por todos os poros, em situações do dia a dia. Exemplo? Atrasos. Um sujeito já diz muito de quem é pela hora em que chega para um compromisso. Não me vou dizer educado, talvez seja medroso, inseguro, isso sim, mas não me lembro de ter chegado atrasado para qualquer compromisso, e não raro o compromisso é do interesse da outra pessoa, da que devia chegar no horário. Dia destes, esperei por um “ex-graúdo do jornalismo”, era um encontro para que tratássemos de assuntos profissionais. O cara está fora da vitrina, devia ter chegado pelo menos no horário, mas não... Fez-se valer, penso. Chegou com oito minutos de atraso. E assim com a quase totalidade dos que andam por aí. Raríssimos chegam no horário. Às vezes, o compromisso é mais que sério, mesmo assim os irresponsáveis chegam ou correndo ou depois da hora certa. É regra geral, comportadas as “neuróticas” exceções. Bom, já me disseram que a noiva chegar com atraso ao altar do casamento é sinal. Sinal da molenga humana que ela é, e sem essa de que mulher é assim... A noiva atrasada está cheia de medos, medo do casamento e do que ela terá pela frente... O inconsciente humano, sabe-se, é um caso de polícia, e a Psicologia é bruxa má, nada tem de fada madrinha. Ela puxa máscaras e nos deixa como somos. Sem disfarces. Professores chegam atrasados para a aula, alunos também, e assim médicos incompetentes e irresponsáveis em relação ao horário marcado com os clientes. Nenhuma solenidade oficial começa no horário, sempre com atrasos de um prefeito, governador, a “autoridade” que for. Ah, e para não deixar passar, só é autoridade quem conjugue competência e honra na mesma personalidade. Não conheço nenhuma. E quase esquecia, o trânsito é a primeira desculpa dos irresponsáveis. O relógio é um dedo duro de personalidades, zinhas...

LEIA A COLUNA COMPLETA NA VERSÃO DIGITAL DO JORNAL O CORREIO DO POVO

×