A história vive se repetindo, que coisa cansativa. Mas parece mesmo que o ser humano é muito mais arrastado para o lodo do que para o céu das coisas boas. Há entre nós uma formidável tendência à autoanulação. Já contei aqui a história de Brownie Ware, uma jovem australiana que se especializou em cuidar de pessoas em fase terminal da vida, pessoas que, todavia, mantêm a consciência bem clara. Da relação com essas pessoas, Brownie escreveu um livro: Os Cinco Maiores Arrependimentos à Beira da Morte. Histórias que pessoas contaram sobre o que não fariam mais se tivessem a chance de voltar à saúde, ou, então, coisas que fariam e não fizeram. Um livro triste, “educativo”, forte, real. E o curioso é que todas as pessoas disseram coisas mais ou menos parecidas sobre o que mais se arrependiam naqueles seus últimos momentos de vida: “Não ter vivido a minha vida, mas a vida que os outros esperavam que eu vivesse”. E eu costumo dizer em minhas palestras que esse lamento faz sentido para todos nós hoje: nós vivemos assim, pelos olhos dos outros. E digo isso, leitora, para dizer que os outros não devem ser o nosso espelho na vida, isto é, não nos podemos ver nos outros para nos sentirmos bem com nós mesmos. Mas é o que acontece. Tenho notado que muitas “jovens mulheres” andam fazendo muito sucesso nas “internets” da vida desmoralizando-se da cabeça aos sapatos. Pessoas que deviam dar bons exemplos, dão péssimos, e isso as faz um sucesso... Não é estranho? É, mas se explica. As pessoas gostam de “ter companhias” em suas vidas desastradas. Uma “famosa” diz que não passa sem tranquilizantes... “Ah, que beleza”, dizem outras. “Se ela toma tranquilizantes, eu também, então estamos no mesmo barco, somos “normais”! Não, não são. Quem precisa de tranquilizante precisa antes de um bom “espelho da verdade” diante dos seus olhos. E é assim para tudo. Uma outra “famosa” diz que não troca a roupa de baixo, diz que não gosta de banho, diz que faz disputas de pum com o namorado, diz uma besteira agora, outra daqui a pouco e... Baita sucesso. Sim, mas e quem der bons exemplos, exemplos que podem e devem ser seguidos? Ficará só. E quem for de uma qualidade um pouquinho acima da média que anda por aí? Será desdenhada... O diacho é que só esses poderão, pelos exemplos, evitar arrependimentos de outros tantos na hora da “partida final”... Enfim, cada um escolhe seu trilho na vida: o lodo ou o céu. Modernidade Depois de um casamento (ajuntamento) estrondoso, a separação. Ele ator, conhecido, ela nem tanto. Disse ela aos repórteres: “Foi difícil para ele entender que tenho ex-marido e filho”. Eles nunca aceitam, querida, não sabias disso? Falta dizer Li a manchete: “Toureiro morre por chifrada em transmissão ao vivo”. Foi na Espanha. Li a manchete, vi os detalhes e fui para o pátio. Fui terminar o meu copo de laranjada. Uma boa laranjada, de boa marca...