Em todos os meus momentos, mas especialmente quando estou em sala de aula fazendo palestra para jovens, “grito” para os guris e gurias para que comecem a poupar dinheiro “agora” para o futuro. Sim, eu sei, quem tem que dizer isso são os pais, mas os pais andam muito “ocupados” gastando dinheiro com tolices que os distraem e não falam do futuro com os filhos. E quando falam, dizem daquelas bobagens da importância da faculdade, do diploma de “doutor”, tolices que não levam a nada. O que levaria os jovens a melhores momentos na vida futura seria conhecer-lhes bem, saber de seus gostos mais naturais, suas tendências, suas “quedas” para esta ou aquela atividade futura de modo que a escolha da faculdade não se dê por busca de status ou da possível carreira que “paga mais”. A escolha tem que ser pela personalidade, pelas paixões, pelas tendências, pelos talentos potenciais, enfim. O resto é equívoco e fracasso garantido. Nem de longe chegam a 30% os jovens felizes e bem realizados depois da formatura na universidade, nem de longe. São pouquíssimos os realizados, mas... Mas o que quero mesmo é falar sobre o futuro, a independência futura dos jovens. Talvez mais das gurias que dos garotos. Mas é melhor pô-los juntos, no mesmo barco. E aí, papai, e aí, mamãe, seus filhos são equilibrados no gasto do dinheiro ou são “desatentos”, não os quero chamar de bananas, como a maioria? – Ah, Prates, mas são muito jovens! Não me venha com essa conversa mole de ser jovem, leitora. E estou dizendo o que digo porque acabo de ler, mais uma vez, bah, que porre, que o brasileiro não poupa pensando na velhice. Segundo o Banco Mundial, só 4% dos brasileiros, veja bem, 4%, poupam para a velhice. E sem essa também de – Ah, eu ganho pouco! Estou cansado de dizer que quem ganha pouco é quem tem maior obrigação de fazer poupança, pensar no futuro. Já pensaste ter que depender da boa vontade da “nora” ou do “genrinho” para viver, para ter um abrigo na velhice, já pensaste no horror que é essa dependência? São poucas as mulheres que poupam, pensam no futuro, a maioria das tontas se apoia no casamento. E quantas já levaram um chute quando menos esperavam? Poupar é pensar no futuro e pensar no futuro é tê-lo razoavelmente garantido. Certo? Sim, tens razão, perdi meu tempo. Outra E esta outra. Agora estamos batendo o recorde mundial de feriados num ano só. Ah, o Brasil não quer perder para ninguém! E quanto custa para a indústria, o comércio e empresas que não podem parar a sua produção um feriado atrás do outro? Feriadões, vários dias emendados. E sem falar que o povinho só sabe, mal e mal, sobre 7 de Setembro, Natal, Dia dos Pais, Páscoa e Dia das Mães. Dos outros feriados não sabem nem o cheiro. Tome, Brasil! Falta dizer Ah, ia esquecendo de dizer que sobre essa pesquisa, “Só 4% dos brasileiros poupam para a velhice”, muitos jovens disseram que se a coisa apertar, eles correm para a casa dos pais. Vadios, relho!