Engraçado, conheço multidões de homens que se estrebucham nas arquibancadas de um estádio torcendo por um determinado time, o deles. Não admitem perder, querem ganhar todas e conquistar a faixa de campeão. Fazem o mesmo no carnaval, querem que sua escola de samba seja nota 10 em tudo... O engraçado disso é que não lutam pela nota 10 para eles mesmos na vida. São – a maioria absoluta – desatentos nas atenções familiares, nem aí para um trabalho mais produtivo na empresa de onde ganham o salário, não lutam por nada para ser, enfim, a nota 10 que exigem da escola de samba e do time de futebol nos campeonatos. Nas nossas “disputas” aqui do lado de fora ninguém tem poder para nos impedir que sejamos nota 10, uma nota 10 de decência, envolvimento ético e profissional no trabalho, de amor e respeito na vida familiar, enfim, por aí tudo. Ninguém nos impede de obtermos essa nota 10 muito exigida para o carnaval e para o futebol. Será que subconscientemente esse tipo de gente não se admite competente o suficiente, capaz o suficiente, para se consagrar numa nota 10? Nota 10 num sentido figurado ou não; raríssimos entre os amigos nos vão dar nota 10, ainda que sejamos um arremedo de um monge budista em aparentes virtudes... Tudo bem, ninguém nos quer dar nota 10, mas e por que não nós mesmos colocarmos no peito essa medalha da qualificação existencial e profissional? Fica muito estranho, sem graça mesmo, uma pessoa ficar tiririca da vida porque sua escola de samba não ganhou nota 10 ou seu time não ganhou o clássico... Mas a própria pessoa vive tomando goleadas da vida, isso quando a goleada não vai lá embaixo numa nota de quase zero, a pessoa tem muito pouco a valer. Esse valer, o nosso valor pessoal, íntimo e social depende só de nós, e estou falando comigo mesmo agora. Mania que temos de ficar esperando de fora o que está potencialmente dentro de nós, baita chateação. Quando o Cristo dizia a um enfermo que o procurava – “Tua fé te curou” – Ele passava uma mensagem muito clara: sem a fé, sem a certeza de que todos somos capazes dos nossos milagres não vamos sair do lugar. E quem não sai do lugar costuma viver apontando o dedo para um culpado imaginário. Trouxas!

LINDA

Uma das mais danosas ambições humanas é o querer mais. A pessoa tem o de que precisa, mas quer mais... Digo isso, e mais uma vez, olhando para duas fotos. Na primeira foto uma mulher linda, não exagero, linda mesmo. Na outra foto a mesma mulher, deformada, deformada de um modo criminoso. Ela foi fazer uma “harmonização” labial, sem precisar, e ficou deformada. Ela queria mais beleza... Que pena, que falta de família...

COMUM

Sim, comum, muito comum. Um sujeito, um oportunista safado, entra numa padaria ou num bar, senta num canto, pede uma água mineral, abre o computador e fica usando o Wi-Fi do lugar por quase a manhã toda, fazendo seus trabalhos digitais. Negativo. Tal tipo tem que ser corrido dali por bem ou por mal, mais por mal que por bem, é um safado oportunista. Muito comum. Ferro.

FALTA DIZER

Manchete resultante de um estudo (não era preciso...) feito pela Universidade Federal de Minas Gerais: - “Ficar satisfeito com a vida está ligado a uma melhor saúde do coração”. Bah, quem quiser ficar rico que estude então cardiologia. O rebanho anda completamente fora da casinha, tantas são as insatisfações e loucuras. Quem duvida? Os estonteados.