Quando é que você pede conselho? Quando está em dúvida sobre o caminho a seguir, esquerda ou direita, vai ou fica... Conselho é diferente de informação. Pedimos informações quando não sabemos de nada. O conselho, quando o pedimos, na verdade é uma tentativa de ouvir de outras pessoas afirmações de entusiasmo. O conselho pode nos reforçar a vontade, ou deixá-la reticente... Resumindo, só pedimos conselhos para reforçar o que já decidimos, porque quando nos dizem o contrário continuamos a fazer bico pelo que queremos, mesmo que o conselho aparentemente seja ótimo. A conversa vem à propósito de um “conselho” que acabei de ouvir, pela enésima vez, a primeira vez que o ouvi parece que foi quando nasci, tão velho é o conselho. E o conselho é simplesmente um anti-conselho: “Não abra a boca sobre seus planos ou decisões”. Bem intrigante. E se eu estiver errado, o conselho não me vai ajudar? Aprenderei com o erro, ué! Essa história de não contar a ninguém sobre nossos planos ou decisões vem em razão de – com frequência – as pessoas nos desarmarem com seus “conselhos” diante do que temos como um bom projeto de vida. Nossa energia diante do plano se esvai em muito quando abrimos a boca antes de executar a ideia. Sempre estão por perto de nós os “desanimadores”, os que se dizem com experiência, os que têm casos semelhantes para contar, enfim, uma fila de gente pessimista e que nos passa o pessimismo deles pelos conselhos que nos dão. Claro que não devemos se estúpidos de pensar em alguma coisa e já em seguida tentar viabilizá-la, claro que não. É preciso um bom plano, conhecimentos sobre o roteiro, avaliação dos recursos, se for o caso, ser pessoa equilibrada, enfim. E manter a boca fechada é indispensável. Quem pensar em algo e sair por aí a contar aos amigos e parentes vai se lascar, o plano irá por água abaixo, os pessimismos serão muitos, e a energia ruim de parte pessoas que nem imaginamos também nos vão abalar. É desejar, planejar e executar, tudo com os pés no chão, coragem, e boca bem fechada. – Ah, Prates, mas isso que tu estás dizendo é um conselho. Não é, é um aviso. Bem diferente. Elas Meu Deus, tão jovens e tão estúpidas. Quem? Muita jovens que andam por aí. Dia destes foi em Goiás, mas ocorre em todos os lugares algo parecido ou pior. Cinco ordinárias torturaram e mataram uma outra da mesma idade, todas por volta dos 14, 15 anos. Motivo? Um ex-namorado de uma delas. Que estupidez! Elas nunca brigam por notas altas em sala de aula, compostura na vida ou um livro da biblioteca. Brigam por bermudões sujos. E quantas “parecidas” andam por aí, adultas e por iguais errando nas causas por que lutam na vida? Falta dizer Multas de trânsito estão mais caras. Ótimo. A lei prevê infração média para quem dirigir utilizando fones de ouvido ou celular. Tudo bem, mas e os ciclistas que andam na contramão, dirigem sem nenhuma habilitação, levam crianças junto e fones altos nos ouvidos. Cadeia, não é mesmo?