Já foi dito que se você quiser que alguém lhe dê uma ajuda, faça um favor, peça a uma pessoa muito ocupada. Essa pessoa vai achar tempo para ajudá-la.

Mas se você não quiser ser ajudado, peça o mesmo favor para alguém que viva olhando estrelas na vida, um mandrião, um Zé do pneu furado... É regra da vida, os “mais ou menos”, não os quero chamar de vadios, nunca têm tempo para nada.

Quem me “ouve” aqui, no rádio ou na TV, sabe que faz anos e anos que prego aos que se dizem muito ocupados filiarem-se ao Clube das Seis.

Esse Clube das Seis eu o descobri quando era repórter da Voz da América, a emissora de rádio oficial dos Estados Unidos, e me encontrava com frequência com diplomatas americanos.

Foi nessa época que ouvi falar do tal Clube das Seis, que agora tem uma “filial” em Florianópolis, uma filial que abre mais cedo, às cinco, para fazer ginástica.

O tal Clube da Seis foi criado há muitas décadas por americanos empreendedores que ouviam pessoas dizendo que não podiam estudar isso ou aquilo, que não tinham tempo para exercícios físicos ou fazer uma arte qualquer por não dispor de tempo. Foi aí que num clube de empresários americanos um diretor perguntou aos que se diziam muito ocupados: - A que horas levantas? –

“Ah, levanto cedo, levando às 7h, às 8h já estou no escritório e daí em diante é só trabalho”! Foi então que o empresário sugeriu que a pessoa se filiasse ao Clube das Seis, isto é, levantasse mais cedo, às 6h, e com isso teria 1 hora inteirinha para fazer o que lhe fosse interessante na vida. Sem desculpas...

Vim até aqui para dizer que nossas desculpas de não ter tempo para estudar inglês, fazer teatro, pintar, exercitar o corpo, fazer o que nos seria de interesse, é desculpa de quem não tem vontade.

Ou será que alguém não teria tempo para levantar às 3h da madrugada para receber uma bolada em dinheiro deixada num banco em seu nome?

Os “desculpistas” da vida sempre acham saídas para não fazer seja o que for. Espíritos acomodados, perdedores na vida, vacilões que só reclamam e apontam o dedo contra os outros, melhor e mais justo fariam se apontassem o dedo acusador contra eles mesmos. Levantar mais cedo, “atolados”.

Novidade

Novidade? Nenhuma. Todos os dias as mesmas e despudoradas “novidades”. Uma pobrezinha, até há pouco fazia novelinhas de crianças, mas agora acha-se adulta, completou 18 anos e numa dessas entrevistas de sites de tolices, a desvalida existencial contou como foi sua iniciação sexual, sua primeira vez. E eu com isso? E o pai dela, como reagiu? Boca fechada, idiotas da “modernidade”. Educação faz bem.

Verdades

Fake-news não são de hoje, são de sempre e eram muito mais desastrosas no passado do que o são hoje. Eram os “poderosos” das cidades, dos Estados, das guerras, os vagabundos que as inventavam para obter escusos resultados da reação pública.

Hoje, se o sujeito ler jornal todos os dias e acompanhar bons telejornais não cairá em notícias falsas, vai desconfiar na hora. Da desconfiança à certeza são poucos segundos. Os troncos continuam acreditando em fake-news, coitados.

Falta Dizer

Dia destes no Balanço Geral, Hora da Venenosa, foi feita uma pesquisa: quem trai com mais habilidade, o homem ou a mulher? Respondo agora: o homem. A mulher só trai por vingança ou amor muito ferido. Já o homem trai diante das oportunidades. Todos? A estonteante maioria...

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito: 

WhatsApp  

Telegram  

Facebook Messenger