Foto Arquivo
Foto Arquivo

Desde tempos imemoriais que o ser humano tem, sim, algumas lâmpadas acesas na cabeça. Muitas vezes, nos fazemos de tontos, mas é teatro. Já falei aqui da Lei Natural, a lei que nos faz saber de tudo o que nos é correto ou incorreto na vida, sem que precisemos de companhias, escola, religião, o que for, sabemos sim sobre a ética natural da vida.

E é por essa sabedoria do povo de todos os tempos que não devemos descartar como tolices os ditos populares, os provérbios, tudo o que aparentemente teve origem na porta de algum botequim.

Engano. Nessas questões, tudo veio da cabeça, da intuição natural dos seres humanos, como, por exemplo, o dito popular que nos garante que – “A ociosidade é a oficina do diabo”. Beleza esse provérbio.

E por que a ociosidade seria, ou é, a oficina do diabo? Pela singela razão de que quando estamos sem fazer nada, sem um compromisso na cabeça, deixamos a mente livre e livre ela pensa em coisas desagradáveis, no pior mesmo.

Aliás, já disse aqui, que os homens (só eles) aposentados, saudáveis, e que não iniciam um novo trabalho, um desafio, uma prática qualquer, vão morrer mais cedo.

São estatísticas internacionais. Claro, vivendo nos “aposentos”, aposentado é quem vive nos aposentos, o sujeito pira. Se estivesse ocupado não pensaria em doenças nem incomodaria a mulher na cozinha...

Digo tudo o que digo porque acabei de ver na Record TV uma reportagem interessante. Uma mulher de 76 anos passou pelo pior em sua saúde. Daquelas doenças, sabes...? Curou-se e para não ficar no ócio que faz adoecer, decidiu ajudar o próximo. Apresentou-se para cuidar de uma horta comunitária na cidade dela.

A horta é hoje uma referência nacional, e ela, a ex-doente grave, está mais feliz do que nunca antes. Imagine, todavia, essa mulher em casa, andando em círculos, sem o que fazer... Será que a doença não voltaria? Vale para todos nós.

Muita gente, famosa, rica, vive em quedas depressivas, por quê? Muitas vezes porque, no fundo, não gostam da vida que levam nem do trabalho que fazem.

Entraram de gaiatos no navio da vida profissional ou existencial. Temos que ter a cabeça ocupada, o tempo todo, mas... Com algo prazeroso, que nos eleve e realize. De outro modo, o poço do desalento e da depressão será fundo, ainda que seja um poço de farturas... Ocupemo-nos.

Ridículos

Ouça esta manchete: - “Mania dos patinetes causa transtornos nas ruas de Paris”. Em razão disso, a administração da capital francesa vai tornar obrigatório, entre outras medidas de segurança, os capacetes.

Fico imaginando o mi-mi-mi saindo de casa com um capacete debaixo do braço e pegando um patinete na esquina. E se dizem primeiro-mundo. Olhe para a cara de quem anda de patinete, olhe...

Malas

Malas na verdade são muitos dos passageiros, verdadeiros malas... As companhias aéreas têm sim que cobrar pelo tamanho e peso das malas “de mão”...

Descarados entram, ou tentam entrar, nos aviões com verdadeiros baús a criar casos a bordo. Ou entram com maletas decentes ou caiam fora, pilantras. Não gostaram? A rodoviária é logo ali..

Falta Dizer

Pergunta inocente. Se um político, como poder de voto ou decreto, estabelece uma lei que favorece a uma poderosa indústria mundial, ele ganha alguma coisa? Ganha pedindo ou ganha ganhando...? Não ganha nada? Procure descobrir qual a mais poderosa indústria mundial. Da resposta você poderá inferir muita coisa...