De uma feita, li um livro cujo título era – “Seu balde está cheio?”. Lembrei-me desse livro ao ler algumas questões sobre nossa saúde e vida. Como sempre, pesquisas de cientistas americanos.

Antes de prosseguir, deixe-me lhe perguntar: e o seu balde, está cheio? Cheio de planos, de ideias, de projetos, de sonhos, de vida, está? Se não estiver, cuide-se, há perigo pela frente.

Foi isso o que os americanos estudaram, tanto em campos de batalhas militares quanto em quartos de hospitais. Soldados feridos e sem gana para lutar, para vencer, sem dentes rangidos pela vida, acabavam-se cedo... Faz sentido.

Nos hospitais a mesma coisa. O paciente é internado, é diagnosticado, inicia o tratamento e os médicos fazem prognósticos.

Esses prognósticos não são apenas baseados em imagens ou provas de laboratório, vão muito além... Entram no psiquismo do paciente. Sem uma motivação especial, mais das vezes, os pacientes se apagam, entregam-se à doença e daí para o fim da vida é um sopro.

E o impactante nesse estudo é que, não raro, os pacientes não tinham ou não tem uma moléstia fatal, um processo que justificasse as mortes... Muitíssimos casos nesses casos.

Não é estranho? Para os “estrangeiros” da psicologia sim, muito estranho. Mas não é de hoje que se sabe que uma pessoa sem uma ardência especial na vida, sem um trabalho penosamente interrompido por um problema ou um probleminha de saúde, terá mais dificuldades para a cura, para viver. Não vamos longe, por que tantas depressões no mundo de hoje? Porque as vidas andam em giros de vazios, muita ocupação em torno do nada, de aparências estultas e autoenganações.

Já quando temos que realizar ou terminar um trabalho que nos faz bater o coração de prazer e interesse, não ficamos mais que dois ou três minutos no “banheiro”. Fazemos tudo rápido e magnificamente...

Quando, todavia, não temos pressa ou nada para fazer, levamos até palavras-cruzadas para o banheiro. Mas que fique bem claro, aí estará um desocupado ou desmotivado da vida... O tempo de banheiro conta muito da vida das pessoas...

Enfim, quem tem projetos, sonhos, ideias e planos de ação se recupera melhor no hospital ou em qualquer lugar. Motivação é excelente remédio, cura quase tudo, pena que seja remédio de difícil prescrição para a maioria que anda por aí...

Cadeia

Não sei como acabou a história, mas dei no dia, semana passada, toda força ao João Dória, governador de São Paulo. Ele acabou com uma lei idiota que algum parvo criou de descontar dias de prisão de meliantes que lessem a bíblia na cadeia. Era só o que faltava. Os caras têm é que cumprir, e bem, a pena pelos crimes. Sem essa de menos cadeia com mais bíblia. Publicar a cara de quem inventou essa estupidez. Publicar.

Tempo

Já falei disso aqui, volto ao assunto porque ele foi objeto de nossa conversa aí em cima... É o tempo de banheiro. Muitas empresas americanas dão cinco minutos de manhã e cinco à tarde para os funcionários irem ao banheiro. Mais que isso é doença, então, é ficar em casa ou ir para o hospital. Alguma contestação? E aqui entre nós? Tempo absolutamente livre, eita!

Falta dizer

A Karpenski, empresa de cibersegurança americana, descobriu que em todo o planeta mais ou menos 70% das pessoas acreditam piamente em fake news. Muitíssimas nem sabem o que significa a expressão. Faz sentido. Quanto maior a ignorância, mais a pessoa acredita em boatos, fuxicos, mentiras e notícias falsas de toda sorte. Jornal nelas!

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul