Ele quem? O Dalai-Lama. Ele mesmo, o monge budista celebrado por multidões. Acabei de ler uma mensagem dele sobre como termos uma vida melhor, menos tensa, menos irada, de mais paz, saúde e, claro, felicidade.

A irritação me veio das obviedades que o Dalai-Lama disse. Por exemplo, que a ira, a raiva, nos tira a clareza da consciência, que sob os efeitos da raiva não pensamos, não vemos, agimos e, quase sempre, nos danamos... E ele foi adiante dizendo obviedades que todos nós sabemos, foi isso o que me irritou, precisar dizer isso. Como se não soubéssemos do que devemos fazer para viver melhor. É verdade que cada ser humano abrange a paisagem de acordo com o degrau em que se encontra na escada evolutiva... Vemos o mundo, a vida, de acordo com as nossas miopias de caráter, estreitezas instrucionais, maturidade, e nossa “adultez”, enfim...

Mas a minha irritação maior não me veio das essências das palavras desse sujeito simpático, o Dalai, mas da estupidez de pessoas que vivem sob o reinado da Dissonância Cognitiva. A Dissonância Cognitiva é o descompasso, você sabe, entre o que sabemos e o que fazemos. Um exemplo: o médico que fuma. Ele sabe que o cigarro o vai matar, mas, ainda assim, fuma... Dissonância Cognitiva pura. O diacho é que todos vivemos, mais ou menos, sob esse reinado da Dissonância Cognitiva. E é por isso que não perdoo o vagabundo que comete um crime e vem depois dizer que não sabia do que fez... Sabia sim. Todos nós sabemos direitinho o que é certo e o que é errado, todos, ninguém escapa. Por estúpida que seja a pessoa, ela sabe separar o certo do errado, é intuitivo no ser humano. E intuição, vale lembrar, é saber sem saber de onde vem o saber; intuição é um conhecimento inconsciente que nos leva imperiosamente a assumir nossas responsabilidades. Crianças têm essa intuição, haja vista que há meninos que aos três anos passam a mão sobre a cabeça do gatinho, outros – diabos disfarçados – chutam o gatinho. Por que uns afagam enquanto outros chutam o mesmo bichinho? Diante disso, ferro nos bandidos, eles sempre sabem o que fazem. E nós também, sabemos direitinho. Foi por isso que o Dalai-Lama me irritou, precisar ter que dizer isso.

Estresse

Diz um médico argentino sobre estresse – “As cardiopatias, que lideram as causas mortis no mundo, podem ser provocadas por estresse, assim como úlceras e até câncer...” Com licença, doutor? O senhor está sendo reticente, não é preciso. É bom garantir: todas essas doenças que andam por aí, todas, começam na cabeça das pessoas, por seus estresses e “loucuras”. – Ah, mas a doença vem de um vírus! Pode ser, mas a imunidade humana, sua resistência, depende fundamentalmente da cabeça das pessoas.

Falta dizer 

Há quem dê de ombros para o que chamam de essas canseiras do dia a dia, os estresses. Subestimam os poderes dos estresses, e não por outra razão tanta gente está morrendo cedo. Estresse mata, de um jeito ou de outro. Olho vivo.