Vou contar de cenas de novela, mas antes, como quase sempre, preciso dar umas voltas. Vamos a elas.

Quando nos desaparece a vergonha da cara, quando perdemos o rubor facial diante de questões que nos devem constranger ficamos nus diante das tentações de ordem moral, viramos um lixo humano. É o que está acontecendo com os jovens brasileiros de modo amplo, geral e quase irrestrito. Não são educados pelas famílias e as escolas, que outrora puxavam rédeas, foram compelidas a ficar quietas, afinal – meus filhos educo eu, dizem os imbecis.

Já contei aqui que por volta das 5h30m da tarde preparo meu chimarrão, vou assistir à Malhação, a novelinha que um dia foi para jovens quase ingênuos e que hoje virou novelinha de bordel; e um pouco mais tarde, assisto à Tempo de Amar. É o meu momento de pausa e descanso. Será mesmo?

Assistindo à Malhação, dia destes, ouvi uma personagem, garota, dizendo a outra que não estava namorando o fulano, afinal, eles raramente se beijavam e não faziam sexo... Como? Namorados fazendo sexo? – “Ah, Prates, não sejas falso ingênuo, vais me dizer que tu não sabes que hoje namorados fazem sexo como se fossem casados”? Ahhhh, despudoradas de uma figa!

E numa outra cena da “novelinha para adolescentes”, uma garota chega em sala de aula e no quadro-negro está escrito – “Virjona”, com letras deste tamanho. Virjona era uma gozação ao fato de os colegas terem descoberto que aquela garota era “ainda” virgem... Me diga, tem cabimento? Hoje tem. Mas não culpemos o autor da novela, as novelas hoje apenas reproduzem o que acontece pelas esquinas. Os pais não educam, os colegas são demoníacos, as escolas não cobram nem punem e o viva da pátria está correndo solto... Como é que se pode esperar desses jovens, assim “educados”, que mais tarde reajam às tentações do mundo infame?

Já contei aqui também de uma professora, do norte do Brasil, que declarou numa entrevista que garotas de 13, 14 anos que são “descobertas” virgens pelas colegas sofrem bullying da pesada. Pode isso? Claro que pode, as que já caíram no abismo da sem-vergonhice não admitem alguém, pela conduta correta, as façam constrangidas. São os tempos modernos? Lembrei de Lupicínio Rodrigues, que um dia cantou: - “Vergonha foi a herança maior que o meu pai me deixou”. Não eram tempos modernos, eram outros tempos...

LIBERDADE

Liberdade? Sim. A França decretou a proibição total dos celulares dentro das escolas para o ano de 2018. Os celulares em nada ajudam, só atrapalham, distraem e levam os jovens a ficarem cada vez mais demoníacos com esses trastes nas mãos. É a França dizendo isso e decidindo contra os celulares. Já os pacóvios do atraso, tipo brasileiros, acham que o celular ajuda nos estudos. Se ajudasse, você acha que os franceses o proibiriam? Fiquei um pouco mais francês depois dessa decisão.

FRASE

Peguei esta frase num canto de página de uma agenda, frase de Bob Marley: - “Vocês riem de mim por eu ser diferente, e eu rio de vocês por serem todos iguais”. Gostei, Bob, aliás, tenho até uma palestra que se alinha nessa tua posição – “Como ser diferente no mundo dos iguais”. Parece que combinamos. De fato, vivemos num mundo de pessoas que se repetem, se copiam nos piores da vida e se acham, coitados dos iguais...

FALTA DIZER

No ambiente de trabalho, tudo é possível. Estou num canto redigindo um texto e chega um colega me trazendo um cafezinho. Ué!!! E ele explica: decidi fazer uma gentileza todos os dias a alguém. Interessante...