Romeu e Julieta, 80

Colunistas

Por: Luiz Carlos Prates

quarta-feira, 12:30 - 21/02/2018

Luiz Carlos Prates

Gostei de uma declaração dele. Dele quem? Renato Borghi, 80 anos. Ator, belo sujeito e um inspirado da vida. Borghi está numa peça muito interessante em cartaz em São Paulo. Ele personifica o Romeu, da eterna peça de “Shakespeare – Romeu e Julieta”. A Julieta nessa peça é Miriam Mehler, 82 anos. Os dois, Borghi e Miriam, fazem o Romeu e a Julieta em idade avançada... Interessantíssimo. Na peça de Shakespeare, Julieta tem 15 anos e Romeu, 17. Agora os dois estão na casa dos 80 anos, num palco em São Paulo. Coisa linda. E...

Gostei muito de uma declaração do Borghi numa entrevista que deu a um jornal de São Paulo. A certa altura da entrevista, ele disse exatamente assim: - “O importante é não ficar parado, sou a prova disso: quando estou no período de entressafra (fora do teatro), sem produzir, fico deprimido, adoentado, hipocondríaco, fico insuportável. Sou rabugento, mas quando tenho coisas para fazer, não tenho tempo para sofrer esse tipo de coisa...”. Em resumo, quando está parado, sem trabalho no teatro, Borghi fica insuportável, como ele mesmo diz. E essa declaração devia ser tomada como lição por todos nós e mais especialmente para os que estão pegando idade na estrada da vida.

Nada fazer, ficar coçando, olhando para as paredes enlouquece e mata mais cedo. Devemos ter como lembrança permanente que a única coisa que nos justifica a vida é ter alguma causa por que lutar, um trabalho, uma arte, uma ciência, o que for, que nos faça vibrar as células, bater mais forte o coração e ter o que nos tire da cama sem o enfado da vida vazia.

Já disse miríade de vezes aqui que os aposentados, saudáveis, que penduram as chuteiras do jogo da vida e nada mais fazem depois da sentença de alforria do trabalho, morrem mais cedo. É estatística mundial.

O sujeito pode ter malas de dinheiro, como muitos canalhas da Lava Jato têm, mas... se não tiverem vida, e esses não têm, estarão mortos muito cedo... O trabalho saudável, que nos faz sentir frêmitos é o melhor dos elixires de saúde, felicidade e longa vida. Pena que a maioria dos “nem aí” não saiba disso ou não queira saber. Coitados. Velas!

Borghi, Míriam, aplausos. Romeu e Julieta devem ser eternos dentro de nós, a eterna juventude apaixonada, uma possibilidade que os iluminados da vida curtem até cansar... Se cansassem...

Palavra

A palavra tem força, tem pode criador. – Ah, Prates, deste agora para fazer psicologia barata, autoajuda de botequim? Sim, leitora. Agora tem uma coisa: continue, por exemplo, a dizer que você não tem sorte, que não tem jeito para isto ou aquilo, que não tem dedo bom para o amor, que sua saúde é fraca, continue dizendo essas negatividades que você vai ver o que é bom... Vai ficar tudo pior. O que pensamos e dizemos “casa-se” com a Lei da Atração. Terás o que pensas e dizes. Negar essa lei é negar o sol do meio-dia. Sucesso para você!

Falta dizer

Os jornais precisam ser mais abrangentes em suas informações. Leio que – “Venda de automóveis cresce 17,5% em Santa Catarina”. Legal. Mas e a venda de livros? Não sei, nada disseram. Hummmm

×