Ela é jovem, bonita, tem um arzinho do interior, deu uma entrevista e me fez pensar. Antes de dizer mais sobre a garota, uma pergunta seca, sem saliva, para começarmos esta nossa conversa: - “Qual você pensa é o melhor investimento que podemos fazer na vida”? Dou-lhe um tempão para pensar, a pergunta não é de fácil resposta, mas... Aposto que a maioria das pessoas responderia de pronto: - “Ah, dinheiro é o melhor investimento, quem vai passando pela vida com bom dinheiro no banco pode respirar tranquilo, investiu no que há de mais seguro para uma boa vida...”! Será que você respondeu assim? Se a resposta for afirmativa, você tem um pouco de razão, um pouco, mas... Dinheiro não é tudo. Dinheiro vem e vai, ganha-se e gasta-se e, num momento especial, pode-se perdê-lo todo e de uma vez...
A tal garota, não lhe digo o nome, faz novela e brilha no Pega-Pega, é magra, magra de dar azia em muitas mulheres, é alta e tem uma carinha “lá do interior”, mimosinha mesmo. Gosto é gosto... Pois essa jovem, numa entrevista, disse que – “Agora o meu objetivo é perna, barriga e bumbum”. Vulgar. Não era preciso dizer. Ela tem perninhas de caniço, o desejo de muitas mulheres; a barriga é mais que um tanquinho, é lisinha... E não tem bumbunzão, quer dizer, ela tem as linhas daquilo que um dia foram características de uma bela princesa... Mas está insatisfeita. É bem assim, quando se tem tudo em ordem, quer-se algo fora de ordem... Difícil contentar o ser humano. O que mais me “irritou” foi ela não ter dito que – “Agora, meu propósito é enriquecer a minha cabeça, ler mais, conhecer a História do Teatro, fazer cursos, ver grandes atores em ação em Nova Iorque, isso e aquilo”. Mas não, ela falou que o “objetivo” dela é ficar “feia”. – Ah, Prates, mas ela vai fazer tudo isso e, aí, com o corpo melhorado, tudo vai ficar mais fácil”! É o que você pensa? Eu não. O bumbum, a barriga, as pernas vêm e vão-se, vão-se para sempre... já uma cabeça que ganhou bons e contínuos investimentos ficará para sempre. De outro modo, a pessoa pode até envelhecer rica mas viverá como pobre se não tiver investido numa cabeça arejada. Depois não se queixem.
Futuro
Muito do nosso bem-estar na velhice vem do tipo de cabeça que temos. E essa cabeça vem conosco desde os primeiros dias de vida e tem a característica do nosso modo de ver o mundo e a ele reagir. Quem usa óculos de otimismo, do mais leve, tem uma vida melhor, vê sempre uma boa saída... De outro modo, pode ter montanhas de dinheiro, será sempre uma pessoa azeda, e esse tipo morre mais cedo: morre em vida. – “Ah, então vou mudar minha cabeça”! Depende, depende da idade que você tenha hoje... Pode ser que seja muito tarde. Porque mudar a cabeça é quase impossível.
Falta dizer 
Que ódio! Ouça esta manchete: - “Garoto supostamente estuprado pela professora não quer frequentar a escola”. Como é que se obriga um guri a ficar “ereto” e a professora o estuprar? Sociedade hipócrita.