Às vezes, penso em escrever, falar e até agir de um determinado modo, mas acabo puxando o freio... A frase, a ideia, o gesto pode ser mal interpretado, pode ferir pessoas. Um pouco mais adiante paro e penso: -Espere, se alguém ficar ferido é porque a espada da verdade chegou a um destino certo. Afinal, quem não deve não teme...

Não raro, lembro do "Pequeno Príncipe", aquele menininho que nunca foi para crianças, como se crianças pudessem entender a sagacidade da raposa e do seu amiguinho, o principezinho...

Não lembro se foi o menino ou a raposa quem descreveu muito bem como nós, os humanos/racionais, somos no mais das vezes. Exemplo? Fácil. Você diz para uma pessoa que acabou de comprar uma casa, uma casa linda, com um belo jardim na frente, árvores ao redor, muitos pássaros sobre essas árvores, casa com a vista para o pôr-do-sol, uma “casinha” encantadora, enfim... As pessoas ouvem o seu relato e nem piscam, mas se você disser que comprou uma casa de 5 milhões de reais, ah, todos abrem a boca em admiração. A casa só é “vista” pelas pessoas a partir do quanto custou, do seu valor.

Vale para tudo. Se você disser que trocou de carro, o povinho nem aí... Todos trocam de carro. Mas se disser que trocou por um caro, de R$ 250 mil, ô, os amigos ficam chocados, mas como...? Que carrão! A felicidade de quem mora na casa ou dirige um carro pouco importa, a sociedade do vinagre só presta atenção aos valores, aos rótulos, às etiquetas. E, olhe, não se engane, isso vale para as pessoas.

Se alguém disser que tem um irmão, um amigo, um conhecido qualquer que é um santo, um anjo, uma pessoa admirável pelas qualidades morais, pessoa que veio ao mundo para ajudar os outros... os que ouvem, bocejam. E não vai faltar quem pense: - Ah, mais um trouxa na vida! É assim, os bons são trouxas, otários. E não se iluda, se um vagabundo qualquer, desses “todos” acusados na Lava Jato, bater na porta da maioria que anda por aí, bah, será um fuzuê de abraços e admirações... Pudera! Os vagabundos sem valor sempre foram cortejados. O ser humano, na regra, não presta: - Vocês querem Cristo ou Barrabás? A turba gritou Barrabás! É o mundo e o povo desse mundo. Exceções? Por favor, me mande o endereço delas...

 

BONDADE

Manchete de um jornalista “ingênuo”: - “Os líderes ocidentais deveriam sair vigorosamente em defesa dos dissidentes chineses”. Dissidentes que são torturados e não raro mortos nos presídios. Mas sabes por que os tais líderes ocidentais ficam quietos? Ou por medo do potencial bélico da China ou, sobretudo, por interesses econômicos. Os governos não prestam, nenhum deles. Nenhum. E essa lorota de direitos humanos é só para figuração em escola de samba. Vagabundos.

CRISE

Olhe, se você tem um negócio qualquer ou um plano na cabeça, não fique nessa de que há uma crise aí fora. A crise está muito mais nas cabeças pequenas que na vida real. Levantar da cadeira, sacudir a poeira do “não vai dar”, sair para a luta, obrar, fazer... Depois, comemorar, deu certo. Mas se você pensa que o que acabo de dizer é autoajuda, ah, então fique por aí mesmo, não tente, não vai dar...

FALTA DIZER

Podes acreditar, leio sites, vejo telejornais, fuço em todos os lugares em busca de informações e só me abasteço, encontro o que busco nas páginas dos jornais. Não é firula de quem escreve aqui, é verdade dos séculos. Quando você lê jornal, você “pega” os fatos...