Acabei de ler, e mais uma cansativa vez, uma história de luta e busca de superação... Luta e superação depois de uma “queda”, é claro. Isso sempre me incomodou. Será que as pessoas só se dão conta das pedras no caminho da vida depois de tropeçar numa delas? É a regra.

A história que li estava num site de notícias, longa história, com o protagonista, um poderoso empresário, contando as provas por que ainda passa... Luta demorada pela recuperação de movimentos físicos, recuperação da fala, recuperação da vida, enfim. O sujeito ficou bem ruim, quase não lhe sobrou nada. Tudo começou quando ele estava de férias, no exterior, se divertindo com a família. Um impensado AVC quase o derrubou para sempre...

Faz tempo que ouço pessoas aconselhando amigos a viajar, a sair por aí e a se divertir para aliviar a cabeça dos problemas que lhes andam aborrecendo a vida. Sou contra.

Não há viagem que nos apague um problema que hoje nos tira o sono. Não existe viagem mágica. Quem viaja com problemas na cabeça leva consigo os problemas. E não raro, ficamos sabendo que a pessoa morreu durante a viagem, assim, sem mais nem menos...

Negativo, sem essa de sem mais nem menos. A pessoa estava encrencada e não queria admitir, levou junto os problemas. Que se resolva antes o problema; resolvido, então, sim, fechar as malas e voar. As malas não podem levar “pesos”...

O caso que acabo de ler foi um desses. E o que quero aqui salientar é que a luta pela recuperação de movimentos, da fala, de tudo que antes estava “aparentemente” saudável, está a exigir ingentes esforços e disciplina do cidadão. E ele já venceu muitos dos estragos provocados pelo AVC, transtorno neurológico não raro fatal.

Fica a certeza de que o ser humano quando se dedica a alguma coisa, por quase impossível que pareça, tem todas as condições de vencer o mal, o desafio, o transtorno. Surge na pessoa uma força que ela não imaginava ter. É por isso que vivo dizendo aos jovens em minhas palestras em sala de aula: - “Vocês, jovens, podem ser o que quiserem na vida, o que quiserem, desde que lutem com a crença, com a fé do Evangelho de Marcos 9:23 – “Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê”. E se essa fé for uma regência de vida, bem que podem evitar os AVCs “inesperados”, “surpreendentes”...

A traição... 

Incontáveis são os casos de homens que ou morreram ali, no momento, ou um pouco mais tarde, depois de trair suas mulheres. A morte na cama do adultério. Motivo? Quase sempre o pesado sentimento de culpa gerado pela traição. E quando o “pagamento” não é na hora, ele vem mais tarde com ações provocadas pela pessoa infiel de tal sorte a que se ferre na vida. Nosso inconsciente tem um tribunal moral da pesada... Ele vive nos batendo o martelo, sem que, mais das vezes, nos demos conta disso...

Falta dizer 

A sociedade precisa puxar a máscara das hipocrisias e discutir mais de cara limpa o suicídio. Um rapaz se mata e a imprensa diz que ele caiu da janela do banheiro... Por favor.