Ao meio de tanta coisa ruim que existe entre os seres humanos, graças a Deus há também “bilhetes premiados”, naturalmente premiados, e aí está o bom da história. Já disse aqui uma miríade de vezes que se há alguma coisa que não deu certo na Natureza, essa coisa foram os humanos, ô bichos ruins, maus, inconfiáveis, safados mesmo... Claro, há exceções e é destas que quero falar.

As exceções costumo chamar de pessoas com luz natural, são pessoas que tinham tudo para dar errado na vida, mas são luminosas: dão e deram certo. Geralmente são pessoas pobres, nascidas em favelas ou vielas, estudaram em colégios “sobreviventes”, passaram todas as dificuldades, enfim, mas brilham.

Estou cansado de ver jovenzinhos – eles e elas – estudando violino, dançando balé, aprendendo inglês sozinhos, de boa vontade e ajudando em casa, isso quando não trabalham fora já desde cedo. Pobres e luminosos.

Nem vou perder meu tempo com a maioria dos bem-nascidos da classe média e daí para cima, os parvos que nascem com de tudo do bom e do melhor e... nada. Queixam-se dos pais, da escola, do cotidiano de toda sorte e... não vão dar para nada. E isso tudo, não raro, depois de terem feito “intercâmbio”. Parvos.

É preciso que as prefeituras, as escolas, todos, enfim, descubramos dessas pessoinhas com luz natural e ensejemos a elas as melhores oportunidades, elas valem a pena. Teriam tudo para viver encrencados na vida mas nos dão, com frequência, um tapa na cara, em nós, os chorões da vida.

Aliás, por estes dias, estive vendo imagens de uma danação que chamam de Lollapalooza, um festival de ruídos que muitos dizem ser festival de música. Vi de tudo, só não ouvi música. Uns idiotas, jovens, com o corpo deformado por tatuagens, sem camisa (uma grosseira falta de respeito) e grunhindo o que eles chamam de música. Todos perdedores existenciais, mas... aplaudidos, com garotas indo à loucura e “bermudões” levantando braços como paspalhos de plateia. Nenhuma “luz natural”, são pessoas que precisam de “geradores” para que tenham algum brilho, isto é, precisam de babacas que os aplaudam sem mérito. E se merecem, todos.

Meninos e meninas com luz natural, vocês nos iluminam... Que bom que vocês existem, continuem afiando seus violinos para a vida e fazendo suas piruetas sobre a ponta das sapatilhas. Abençoados.

Ele

Eu vivo dizendo isso por aqui e... fico comigo mesmo. Já ele diz a mesma coisa e é... o Dalai-Lama. Pois o “mestre” disse numa entrevista para a Seleções que – “Idosos que não se sentem úteis têm quase o triplo da probabilidade de morrer mais cedo que os que se sentem úteis. Todos precisamos nos sentir necessários”. Eu digo, acrescentando: necessários a nós mesmos, antes de tudo. Quando penduramos as chuteiras da vida, de fato, estamos prontos para sermos chutados para o além... Que os acomodados lembrem disso, tenham a idade que tiverem.

Sono

A Administração de Mercadorias Terapêuticas da Austrália nos faz saber que – “Os medicamentos indicados para a insônia, todos, podem piorar a insônia quando o paciente tenta parar, mesmo depois de apenas uma semana de uso”. E eu digo daqui, fora daquela insônia que acomete um paciente em convalescença, o que tira o sono das pessoas são suas mentes atulhadas de lixos, preocupações e irresponsabilidades... Os insones sabem bem...