Um amigo, colega, que já tem boa idade, chega para mim e sem muito piscar me diz: - “Tu tinhas razão, Prates, eu era feliz e não sabia”! Pensei um pouco e não me lembrava de ter dito essa frase a ele. Não tinha. Foi ele quem a lembrou a partir de me ouvir e ler. De fato, vivo dizendo isso, é preciso ser inteligente e sensível para saber quando se é feliz e não se sabe. Ser feliz e não saber se me afigura como uma rematada estupidez.

O amigo me contou do problema por que passa. Não é com ele, mas com um familiar muito próximo. Problema de saúde, problema que o dinheiro por princípio não resolve; aliás, abençoados são os problemas que o dinheiro pode resolver. Problemas que o dinheiro pode resolver são probleminhas, o diacho são os problemas que estão acima do dinheiro...

Um problema, e era aqui que eu queria chegar, produz estresse, e estresse é um estado de alarme do organismo. A mente se agita, teme, se torna insegura, angustiada e vai jogando na corrente sanguínea os deletérios hormônios provocados por essa tensão. A partir daí a pessoa pode cair a qualquer momento, e cairá a partir do seu ponto frágil. Todos temos os nossos pontos mais vulneráveis no organismo, por esses pontos costumam atacar as moléstias insidiosas.

Evitar o estresse é evitar a doença. Uma lástima as pessoas não acreditarem nisso, muitas pensam que o estresse não passa de uma tolice do emocional de pessoas levianas... Antes fosse. E como se faz para evitar esse estresse ou torná-lo aceitável dentro dos limites? Tudo depende do tipo de estresse, a que ponto ele envolve o emocional de uma pessoa, quais são os valores dessa pessoa que estão em jogo diante do que produz estresse? Um dos melhores remédios contra o estresse, esse estresse dolorido e provocado por razões acima dos convencionais, é um amigo, amiga, uma pessoa com quem o estressado possa se abrir, chorar, entregar-se. Muito difícil. São raríssimos esses amigos. Um amigo-amigo é alguém que nos “lê” sem que digamos uma única palavra. E esse tipo de amigo é um “cofre” dos nossos melhores segredos e desabafos. Jesus, um amigo desses, por favor! E só sabemos disso na hora em que estamos precisando mesmo, é quando olhamos para os lados e vemos os vazios em nossa vida. E nesse caso, o estresse pode ser como uma taça de cicuta.

Igual 

Santo Deus, nada muda. Passam-se os meses e a manchete se preserva: - “Escolas privadas têm maior consumo de drogas”. E cada vez mais e mais... Será o poder aquisitivo maior que faz dos alunos das escolas privadas mais consumidores de drogas ou é a falta de “família” cada vez maior entre eles? Com certeza, órfãos de pais vivos.

Falta dizer 

Um grande “amigo” da infância, inesquecível para as crianças crescerem saudáveis? O “chinelo” do pai ou da mãe. É um grande “pedagogo” na infância bem orientada. Aliás, ele nem chega a ser necessário na infância bem orientada