Você usa óculos? Então, ajeite-os e preste atenção ao que vem a seguir. Tirei a mensagem de uma revista de Psicologia, ela diz assim, em resumo: - “Os erros realmente só têm a contribuir em nosso crescimento pessoal... é impressionante a capacidade das pessoas de se reerguerem depois de adversidades...”. Será? Devia ser, mas... Não no meu caso.

Já olhei para trás tantas vezes que tenho um torcicolo resistente, olhei, olhei, avaliei, pensei, pesei e... não me vi ou vejo errado. Mas a questão não é estarmos certos diante de um “erro”, a questão é que devíamos ter tido outro comportamento. Pois é, mas se eu tivesse tido outro comportamento teria engolido sapos indigestos, não teria mandado o recado aos vagabundos que me fustigavam, puxavam o tapete ou pousavam de autoridades, como aconteceu em muitos momentos.

E a pergunta é: - Será mesmo que nos reerguemos dos erros, das adversidades, aprendendo com eles? É possível, mas sem dobrar a cerviz, sem dobrar a coluna. Hoje, sei perfeitamente o que deve ser feito diante de provocações ou desmandos, mas... Não vou concordar, vou continuar batendo o pé e fazendo o que acho certo... Já me disseram que é para concordar na hora e mais tarde fazer o que acho certo. Ah, mas não tenho essa elasticidade diante dos safados. E estou falando apenas e tão-somente de questões profissionais, só.

Então, companheira/o, o que quero dizer é que nem sempre “aprendemos”, no sentido corretivo, com os nossos erros e adversidades. Já os conhecemos, sabemos como os podemos evitar, mas... Nem sempre isso é digno e honesto com nós mesmos.

Se eu fosse “um pouco” mais louco contaria aqui algumas das histórias que me têm cercado a vida profissional, coisas que estão acontecendo ainda hoje, mas não sou tão louco assim, acho que com os “erros” do passado aprendi um pouquinho, sim, só um pouquinho...

E para terminar a conversa, se os nossos erros de hoje nos ensinassem a viver melhor, todos os divorciados e casados outra vez viveriam no paraíso, e eles sabem que não vivem... Os erros de um casamento levamos para o próximo, todos fazemos isso. O ser humano só é corrigível quando lhe convém, mas aí não é correção é interesse... Quantas vezes você se prometeu não fazer mais “aquilo” e... continua fazendo?

Ele

Sabes aquele rapaz que teve a testa tatuada com a expressão – “Sou ladrão e sou vacilão”? Um trauma, era para ser o erro definitivo na vida dele que tentou furtar uma bicicleta e ganhou a tatuagem... Ele foi acolhido numa clínica, recebeu atenções e... numa saída sem acompanhante, entrou num supermercado e furtou desodorantes, vários. Quer dizer, o erro do passado não o corrigiu para o presente. Esse é o ser humano. No caso dele, parece ser o furto a sua compulsão. E as nossas quais são? E todos as temos...

Falta dizer

Quem achar que ama aos seus filhos, pequeninos, que lhes puxe as rédeas dos melhores valores, da educação na primeiríssima infância. Se deixarem para mais tarde, será um erro atrás do outro, e os arrependimentos poderão matar...