Eu sei que perco meu tempo. Os professores, e menos ainda os diretores, não vão colocar esta mensagem no mural da escola. E se você estiver me “ouvindo” agora pelo mural da escola, cumprimentos, vá lá dentro e dê um afago nos professores e diretores.

É o seguinte, ando até aqui de encrencas nos colégios, encrencas levadas por jovens mal-educados pelos pais. Estão levando para as escolas discussões que têm que ser feitas em casa ou no meio da rua, discussões sobre “gênero”, taras sexuais, esquerdismo, comunismo, liberdade de expressão (sempre para o pior), coisas que nada têm a ver com os colégios. Os colégios não são locais para proselitismos políticos – escola sem partidos – isso sim. Escolas têm que ensinar e ensinar muito bem.

Quem educa é a família, será que não sabem que a palavra educação significa discussão e transmissão de valores? É de responsabilidade total da família, a escola apenas complementa através de seus regimes disciplinares. Fora disso, que os atrevidos vão discutir suas loucuras e proselitismo de qualquer sorte ou em casa ou lá na esquina, longe da escola.

E as escolas têm que endurecer a parada: Aqui dentro não! Devem dizer os diretores e em coro os professores. Professores, quero dizer, nem todos são professores, nem todos encarnam a missão “sacerdotal” de ensinar.

Na escola as discussões dos alunos devem girar em torno de Biologia, Matemática, Física, Química, Português, Inglês, etc., etc. Fora disso, é lá em casa, atrevidos. Certo? E outra coisa, as escolas por seus regulamentos, escritos ou não, não devem sob qualquer hipótese permitir arruaças e tentativas de discussões de temas estranhos à sala de aula e ao currículo. Alguns estão tentando desvirtuar os rumos da escola, se não forem “duramente” barrados, suspensos ou expulsos, vão ficar cada vez mais agressivos e topetudos. Querem discutir taras sexuais no pátio do colégio ou em sala de aula? Ordinários. Essa gente tem que ser identificada e seja quem for, tenham os pais que tiverem, dureza, punições de parte das escolas.

E mais, prestem atenção os professores, os maiores arruaceiros e defensores de ideias ridículas, envolvendo sexo, bizarrias sexuais e taras de toda sorte, nunca são os melhores alunos, nunca. Olho neles e ferro, “ferro”, eu disse. Ou se ajeitam ou rua. Certo, professora? Acho bom. Agora, de resto, a escola tem dever, missão, de ensinar, não pode delegar isso aos pais!

Memória

Diz uma pesquisa da revista Psychological Science que – “Quem viaja com câmera se lembra mais daquilo que viveu”. Discordo. Quem só se lembra vendo fotos não viu o que foi fotografado. Aliás, a maioria que anda por aí, quase todos, só sabe fotografar, volta da viagem e não viu nada… São os “desatento” da vida. Vivem dos celulares. Numa viagem precisamos de olhos e de sensibilidade. Eles são a vida da memória. Viu como sei perder tempo jogando conversa fora?

Falta dizer

Duas tragédias na vida: a primeira é não ter o que se deseja, e a segunda é consegui-lo. Sábios passaram a vida dizendo isso. O bom seria mesmo o desapego e a paz na cabeça. Aí estaria o paraíso.