Ele morreu por estes dias, Stephen Hawking, o astrofísico inglês. Um gênio. Um Einstein atualizado, um nome para a História. E ele deixou frases bem populares para a lembrança de todos nós. Nenhuma novidade, não mais que frases de antigos livros de autoajuda... Mas os inteligentes sabem que tudo é autoajuda para quem tenha olhos de perceber e ouvidos de escutar. A maioria tem olhos de ver e ouvidos de ouvir. Não vê e não ouve. E não é preciso mais explicações sobre essa diferença, você já sabe de cor.

Mas como dizia, Hawking, o gênio, deixou-nos muitas frases. Uma delas é bem “barata”, está na esquina, em todos os botecos. Ele dizia que “Os Buracos Negros do universo não são tão negros assim, como foi por muito tempo imaginado, há muitas energias e “luzes” neles... E essa descoberta, disse Hawking, serve para nós que, volta e meia, estamos num “buraco negro” na vida. E acrescentava: - Quando isso acontecer é bom lembrar que há saída, que tempos nebulosos e tormentosos na vida vão passar, o sol vai voltar...” Em outras palavras, mais ou menos isso o que ele disse.

Também disse que é melhor andar olhando para cima, para as estrelas, que para os próprios pés... Claro que essa frase precisa ser trabalhada, pensada, olhar para os pés significa, penso, ser pessimista e só pensando nos egoísmos próprios...

Já disse aqui que nestes últimos dias tenham andado muito por um certo hospital de Florianópolis, acompanhando uma pessoa muito, muito próxima de mim... E tenho ouvido histórias de todo tipo, arrependimentos e recalcitrâncias na estupidez... Já contei que vi e tenho visto pessoas fumando, pessoas com doenças graves e internadas, fumando... Alguém da família faz o “contrabando”, traz os cigarros proibidos. Pode isso? Pode, uma cabeça estúpida é empurrada pela vida para um “buraco negro” e nem aí, acha que tudo é bobagem e culpa do destino, que não havia como escapar...

Esse Stephen Hawking tinha todas as razões para viver afundado em depressões, afinal, um gênio, com a cabeça a mil e os movimentos do corpo tolhidos pela doença degenerativa, a maldita paralisia lateral amiotrófica, mas... Hawking tinha bom humor. Gênio até nisso. E frasista de porta de botequim. Gênio outra vez!

Festa

Todo gênio é louco? Para os “normais”, sim, os gênios andam fora da casinha... De uma feita, o físico Stephen Hawking preparou uma festa, alugou salão, colocou bandeiras e faixa bem grande na porta: - “Viagem no Tempo”. Esse era o nome da festa. E ficou na porta esperando, esperando, esperando... Não apareceu uma viva alma. Depois ele explicou que preparou a festa mas não mandou convite para ninguém... O objeto da festa era uma intrigante inquietação humana: a viagem no tempo, voltar ao passado, por exemplo. E explicou do fracasso da festa: é apenas para lembrar que um dia essa festa, essa viagem ao passado, poderá ser realizada.... Louco? Gênio.

Falta dizer

Pais educam mal os filhos, professores são proibidos de puxar as rédeas da disciplina em sala de aula e nas empresas tudo virou assédio moral. Países desse tipo, moralmente podres, acabam vivendo ditaduras. Espere só..