Antes de iniciarmos a nossa conversa, uma pergunta: - O que você faria na sua vida se não precisasse dormir? O que faria com as oito horas de sono diário? Como você acha que seria a sua vida sem precisar dormir?

Imagino que você diria não pensar em pegar as oito horas de sono diário e colocá-las na empresa, trabalhando... Há quem diga que as horas de sono são horas perdidas de vida... Pode ser.

Libertei a imaginação, mas volto ao aqui e agora, à realidade, para dar razão a um cara, a um sujeito, muito especial... O Papa.

Dia destes, você lembra, o Papa baixou o cacete nos “fiéis” – fiéis de aparência, fiéis da boca para fora, como todos os que andam por aí – em razão de irem à missa com o celular na palma da mão. Ele não disse, mas eu digo: gente estúpida. E foi numa missa campal que o Papa oficiou por estes dias que ele perdeu a paciência. O Papa celebrava a missa e só via celulares erguidos por sobre as cabeças, não via ninguém “vivendo” a missa. O negócio dos “fiéis” eram as selfies e fotos de todos os ângulos.

Tudo bem, eu também tiraria uma foto perto do Papa, claro que sim. Mas isso é uma coisa. Outra, bem diferente, é a pessoa ir a um lugar de significância e não viver esse lugar, ficar o tempo todo tirando fotos. Quem vai ver essas fotos estúpidas mais tarde? Os amigos? Ora, por favor, ninguém gosta de ver fotos alheias, ninguém, e menos ainda fotos de crianças, bah, um porre.

Já contei aqui da fúria dos gondoleiros de Veneza que passam o dia todo remando, indo e vindo com turistas do mundo, e nenhum deles curtindo o passeio, olhando a paisagem, todos, isso sim, tirando fotos. Os gondoleiros perderam o controle – ah, vão tirar fotos do... (não digo). Mas é isso.

Tenho ouvido cantores, dançarinos, gente de teatro, de todos os lugares se queixando dos idiotas que nada veem e tudo querem fotografar. Se até o Papa perdeu os cadernos, eu imagino até onde foi a paciência dele. E aposto que se não precisássemos dormir as necessárias oito horas, haveria multidões de bobões pelas ruas com o celular na mão, fotografando... Coitados, coitados dos abobados.

 

TEMPO

Tempo é sinônimo de vida, acabado o tempo, acabada a vida... Mas não adianta dizer. Multidões pensam que se divertem com o celular na mão, afundam-se, isso sim. Americanos descobriram que 98,78% dos que andam por aí com o celular na mão não o fazem para realizar negócios. Só perdem tempo, vida. Mas os parvos pensam que não dá para dispensar o WhatsApp, o isso, o aquilo, coitados dos vazios. Estão perdendo tempo, deviam ler mais jornais e livros. Aí sim, cresceriam ao céu...

ELA

Tenho uma amiguinha de 12 anos. Ela vive, coitadinha, num inferno na escola onde estuda. Não pelos professores, mas pelo bullying das invejosas. “Das”, eu disse. Ela não apenas é a melhor aluna na aula dela como é a melhor de todo o colégio. Vive isolada e muito provocada, tudo por inveja. Mas tenho dito a ela, fica na tua! Um dia as bosteiras da inveja te irão procurar, pedindo ajuda, escreve o que te digo. A vida dos bons é muito dura...

FALTA DIZER

Quando o Papa viu que os “fiéis” passam o tempo todo na missa erguendo o celular por sobre a cabeça para tirar fotos, ele pediu que as pessoas erguesse, isso sim, seus corações. O Papa deve ter bebido, gentinha só sabe erguer o celular...