Sempre há perdedores existenciais, muitos deles vadios natos e hereditários que acreditam possa haver um “ócio criativo”. Não pode haver criatividade na ociosidade, o vadio nunca vai ser criativo. Criatividade exige combate, estar na linha de fogo da vida, ardendo por algo e tendo diante dos olhos uma causa por que lutar.

O Brasil, sabemos, é terra fértil para que alguém pregue ociosidade, tempo livre e muitos feriadões na vida... Terra fertilíssima.

Vim até aqui para dizer que todos os dias me deparo com pessoas que andam dando voltas e voltas na vida... e nada. Não saem do lugar. Todos os dias me encanzino com jovens, rapagões e raparigas, diante das perguntas que lhes costumo fazer. Duas são as perguntas que costumo disparar a eles: - A primeira é: Tens poupança? Vacilam na resposta e por hábito dizem que não, que não têm poupança. E acrescentam: - “Ganho pouco,   Prates”! Como se isso fosse razão...

E a segunda pergunta que faço a eles e elas, ainda nas fraldas da vida, é: - Qual é o teu plano de vida, teu objetivo profissional? A resposta costuma vacilar, entortam os olhos, quer dizer, não têm resposta pronta. E a resposta tinha que estar na ponta dos lábios.

Desde cedo na vida, temos que ter causas por que lutar, saber bem do que queremos. E digo isso lembrando uma frase que o autor daquele livro idiota – o Ócio Criativo – fez numa entrevista. Ele disse que “o tempo livre é importante para a felicidade humana”. Claro que sim, e é por isso que vamos dormir à noite... Fora disso, tempo livro é coisa de vadio, de ocioso. Lutar freneticamente por um sonho, lutar, lutar e lutar até vencer. Uma vitória que jamais será completa, afinal, ninguém sabe tudo de tudo.

Mas o que me trouxe até aqui é ver jovens todos os dias jogando tempo fora fazendo trabalhos menores, que não os fazem felizes nem os farão realizados para uma vida mais tranquila na velhice e não se inquietam em levantar da cadeira e partir para a luta, para os estudos, para as qualificações, pela realização dos sonhos. Jovens, bonitos, saudáveis e... acomodados, deixando o tempo passar. Vivem como que num “tempo livre”, o tempo favorito dos perdedores na vida. Vamos, saiam logo dessa cadeira!

Aprender

Esqueça a idade, a idade costuma ser desculpa dos frouxos. Viva o momento que viver, você a partir de agora pode aprender o que bem entender na vida e... realizar-se, sentir-se feliz. Mas é preciso decisão da mente, foco no objetivo e uma luta sem fim até o último suspiro. Aprenderás o que bem entenderes, e aprender e ser são as virtudes que nos realizam na vida. O resto é tudo moeda falsa.

Filha

Numa entrevista, Maria Rita, disse que – “Ser filha única da Elis Regina foi muito pesado para mim”. – Ah, Ritinha, ser filha/o  único é barra para qualquer um. Tudo que acontece entre os pais, tem o filho/a no meio, e esse filho/a não tem onde buscar socorro, é pessoa sozinha. E isso será para a vida toda. Ademais, se o filho/a ficar do lado de um dos pais, estará contra o outro... é isso? Um inferno. Falou um filho único.

Falta dizer

Muitas empresas estão com aulas de meditação para seus funcionários, querem levá-los a pensar uma coisa por vez e não em muitas ao mesmo tempo, o que depõe contra eficiência, mas... Eu digo que pensar em muitas coisas ao mesmo tempo é fruto das ansiedades e dos medos. Só meditação é pouco. A luta é dura.