Já disse aqui inúmeras vezes que se você quiser ter mais poder sobre você mesmo e, mais que tudo, sobre os outros, mantenha a boca fechada no ambiente de trabalho. Você deve lembrar que incontáveis vezes já repassei aqui a velha frase dos sábios: “Cordialidade com todos, intimidades com ninguém”. Esse princípio no ambiente de trabalho lhe vai envolver em mistérios, muitos especularão sobre você, mas nada vão saber, que bom! Ademais, quem não sabe que a exemplo dos peixes, morremos pela boca? E está nos provérbios de Salomão: - “Quem vigia os lábios, preserva o coração da angústia”. Ontem, um colega me veio contar que num certo canto da empresa falou para um companheiro de trabalho sobre uma ideia que lhe ia pela cabeça... Contou como se conta para um amigo, e o colega era um amigo. Será que era amigo ou era “amigo”? Minutos mais tarde, um diretor da empresa chamou o funcionário que tivera a tal ideia para saber dele como ele a encaminharia na rotina da equipe, afinal a ideia iria criar um problema nas escalas de trabalho... - Ah, mas a ideia não era um segredo de Estado, nada de comprometedor, era uma ideia de algo que o funcionário pretendia fazer... Mas será que a empresa iria concordar? Isso não importa, isso o funcionário iria saber mais tarde. O que ficou claro é que uma conversa, nem chegando a ser uma confidência/segredo foi levada adiante por um até então insuspeito “amigo”... Vou repetir a lição. Se você quiser ter paz, tranquilidade no ambiente de trabalho, não confie nos “amigos”. No trabalho você tem conhecidos, alguns simpáticos, até queridos, mas pelo sim e pelo não, melhor é manter distância, um pé no freio, afinal, quem não sabe que o seguro morreu de velho? Que triste essa verdade. Então, por segurança, é bom ficar atento e de boca fechada, afinal, só descobrimos os linguarudos quando já é tarde. Boca fechada é bom negócio. Sete chaves na língua e não confiar nem nos dentes, quem não sabe que eles vez por outra nos mordem? Shhhh, silêncio. Silêncio é o elixir do poder no ambiente de trabalho. Ah, mas saber dos outros é muito bom, que os outros batam nos dentes... INVEJOSAS Estou de olho no pé delas. Delas quem? Das mulheres invejosas, intrigantes de outras mulheres. Por exemplo, o que foi que a Marcela Temer fez até agora para ser criticada? Nada, ela mal abre a boca, mas agride. Agride por ser mulher de um presidente com pinta de presidente, agride por ser educada, jovem, bonita, agride pelo bom gosto e discrição no vestir-se, nada de vulgaridades... E também já estão arrumando o que dizer da Bia Dória, primeira-dama de São Paulo, e da Anita, a cantora, nem se fala, vive sendo bombardeada de críticas. Mas é bem assim, quem sobe na escada é detestada.. FALTA DIZER Veja a que ponto chegou o jornalismo da covardia, do medo. Observe esta manchete de um jornal de Porto Alegre: - “Adolescente gaúcho morre vítima de suposto espancamento nos Estados Unidos”. Como “suposto”? O rapaz morreu de tanto apanhar... Ah, mas não houve ainda o julgamento do acusado... Covardes de uma figa!