Se a felicidade depender da realização de desejos, babaus, ninguém vai ser feliz. Tão pronto realizamos um desejo, vem outro. É natural na condição humana, ninguém se dá por satisfeito com o que tem ou acabou de conquistar. Um sujeito passa vida tentando conquistar a moça lá da esquina, conquista, mas...

Pouco tempo depois já está esticando o olho para a vizinha da vizinha. É assim e não adianta o “mimimi” da mamãe bater o pezinho e dizer que não. Vale para tudo. E é por isso que me irrito com certas notícias, como esta, por exemplo: - “Obsessão por felicidade nos deixa deprimidos”.

Era um artigo de uma psicóloga num site de jornalismo, multidões humanas buscando a felicidade. A psicóloga contava das pessoas que ela ouve e que você também ouve, isso se você também não for uma dessas pessoas a viver suspirando pela felicidade...

Felicidade não se procura, ela está dentro de nós. As pessoas sensíveis, inteligentes sabem disso. E essa inteligência nos vai dizer que de nada precisamos para sermos felizes, de nada. Basta que digamos alto e bom som: - Sou feliz!

Quem pode contestá-la? Ninguém. Felicidade é porta que só abre por dentro, por fora ninguém consegue arrombá-la, a chave está conosco.

Agora, uma coisa é certa: com o celular na palma da mão, perdendo tempo com essas mensagens de gentinha de todo tipo, tipinhos, é quase impossível ser feliz, salvo que a pessoa seja muito inteligente. Mas os inteligentes não perdem tempo com celulares na palma da mão...

Nas redes sociais o que mais se vê? Sorrisos falsos, fotos de viagens “maravilhosas” e reuniões de família felizes... Famílias felizes? Aonde isso? E viagens para hotéis de quarta categoria, refeições em lanchonetes, dinheiro mais minguado que cortesias genuínas, é isso?

Só que os desavisados acreditam em tudo o que ouvem e veem, fotos não falam, enganam... A felicidade é silenciosa, discreta. Quando ruidosa não é felicidade. Sem deixar de lembrar que os “desavisados” se comparam com os mentirosos das redes sociais e...

Caem em depressão, veem-se “menores”. A obsessão por felicidade é comportamento de quem não têm ideia do que seja, na essência, felicidade.

Não é a poltrona fofa que me faz descansar, é a minha cabeça. Com paz e alegria, a pessoa senta sobre um prego e não se dá conta, é feliz...

Amor

Essa história aí de cima, sobre felicidade, faz-me lembrar do amor. Quantas vezes já repeti isso por aqui? Amor não se procura, acontece. Mas muita gente sai para baladas, restaurantes, festinhas esfregando os dedos para encontrar um amor.

Com essa “predisposição”, acaba vendo figuras interessantes que não passam de miragens. É a regra. Amor acontece. É crer e viver. Nesse caso, quem procura não acha..

Caráter

Nos meus arquivos temáticos – casos de suicídio – tenho várias histórias de suicidas que foram à morte para deixar remorsos em alguém. Dia destes, São Paulo, um sujeito desistiu de matar a

mulher, preferiu matar-se junto com o filho, criança, jogando o carro com ambos contra uma parede. Deixou uma carta dizendo de sua intenção contra a mulher. E agora, o que dizer desses tipos? Ter pena?

Falta Dizer

Manchete de um site de jornalismo: - “Filha de Sabrina brinca com boneca D&G de 3 mil”. Sabrina? Quem é? E por que uma boneca de 3 mil, quem pagou? Que trapaça para os otários! Ademais, por que a guria não brinca com um livro? Vai crescer “analfa”?

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger