Eu estava com mais sono do que com vontade de ver televisão, mas... a tevê continuava ligada. Olhos semicerrados, mais para lá do que para cá, mas de repente entra um comercial de sorteios e o apresentador estava muito eufórico, tão eufórico que me acordou sem que eu estivesse dormindo...

O apresentador estava um sorriso só e apresentava uma moça, a ganhadora do prêmio: R$ 10 mil. Até aí nada. O que me fez ficar irado foi com a estupidez que veio a seguir. O apresentador, mais feliz que a ganhadora do prêmio, perguntou a ela o que ela ia fazer com aqueles R$ 10 mil que acabara de ganhar.

E a moça respondeu que ia passear, viajar pelo Nordeste. Isso já me deixou fora dos sapatos. Mas em seguida, o apresentador disse a moça que ela podia continuar a concorrer aos prêmios do tal sorteio e que da próxima vez poderia ganhar R$ 100 mil, hein, que tal? – E aí, o que farias com esse dinheiro? – perguntou. E a jovem me tirou definitivamente do sério. Disse que no caso de ganhar R$ 100 mil, ah, viajaria pelo mundo.

Ela devia estar brincando... Pobre como parecia ser, pega um dinheiro extra na mão e vai viajar? Será que ela já estudou o suficiente na vida? E o que é estudar o suficiente? Será que já tem casa própria, apartamento, um terreno, algo assim?

Será que tem poupança, será que dispõe de recursos para uma vida mais calma financeiramente ou continua sem ter onde cair morta? Isso me irrita. Aliás, comentei dia destes para as emissoras de rádio onde tenho comentários que o Banco Mundial fez-nos saber, por estes dias, que só 11% dos brasileiros pensam no futuro e fazem poupança para a velhice.

Engraçado, dia destes num debate de rádio um sujeito disse que empresários responsáveis, pessoas comprometidas com seu  trabalho, gente séria, enfim, não vão à Copa do Mundo ou a eventos parecidos, quem costuma fazer isso são os funcionários, os empregados, os “sobreviventes, gente que não tem como se garantir diante de uma necessidade especial. E depois vão se queixar da Previdência ou da empresa. Irresponsáveis, isso é o que são. Não é mesmo, jovem leviana que vai gastar o dinheiro do prêmio em viagem inútil?

Viagens

Conheço muitas pessoas, conheço-as de perto, que vivem viajando, é uma viagem atrás da outra, viagens caras, mas... Voltam das viagens como foram: vazias. Não tiram das viagens os conteúdos que as fariam ter uma cabeça rica por bons conteúdos.

Vão, tiram miríades de fotos, compram em outlets e voltam como se não tivessem ido. Mas não sossegam o facho, precisam fazer o que outros fazem. Que tempo e dinheiro jogados fora.

Caçadores

Notícia destes dias, estava no site jornalístico UOL. E a manchete: - “Caçadores são devorados por leões em reserva na África do Sul”. Os caçadores entraram ilegalmente na reserva. Quer dizer, os ordinários poderiam ter entrado “legalmente” para matar bichos indefesos, caso dos rinocerontes que eles foram abater. Agora, me pergunte se fiquei triste com a notícia, pergunte...

Falta dizer

66% das demissões no trabalho são provocadas sem justa causa. A causa, as mais comuns, são os modos inadequados dos funcionários. A velha história do – “Somos contratos pela competência e demitidos pelo comportamento”.

E tudo começa na primeira infância, com a falta de educação dos papais e mamães. A falta de “rédeas” bem puxadas pelos pais na infância dos filhos vai danar com eles na vida adulta. Rigor disciplinar nunca faz mal. Novidade?