E o seu futuro, como vai? – Ah, Prates, que pergunta mais idiota, como é que eu posso saber do meu futuro? Imagino que alguém me desse essa resposta à minha pergunta. Seria uma resposta ingênua.

Antes de tudo, vamos deixar claro que há dois futuros na vida de todos nós. Um é o futuro mais que certo, é o futuro do ponto final, é o futuro do término prazo de validade. Faz sentido, somos um produto social e todo produto tem prazo de validade.

Desse futuro ninguém escapa, mas não estou me referindo ao futuro do ponto final. Estou falando do futuro, de nós todos, que não acontece por acaso. Muitos pensam que o futuro está escrito nas linhas das nossas mãos. Bobagem infantil.

E antes de dizer a que venho, leitora, que as mulheres, estonteante maioria, deixem de pensar que casamento é futuro inevitável. Pelo contrário, casamento pode acontecer como pode não acontecer. E hoje, pelo que vejo e ouço, muitíssimas estão desejando que não aconteça...

De fato, os tempos estão mudando. Mas o que quero dizer é que seu futuro não vai acontecer por acaso.

Vamos lá. Num futuro não muito distante, você vai começar a sentir falta de fôlego, um certo cansaço. É a idade chegando, é o futuro batendo à porta. Já tens tua casa própria? Esse “desenho” da casa própria tem que ser parte do futuro idealizado e por ele lutado por todos nós.

Quem deixar para mais tarde vai se encrencar. O futuro, insisto, não ocorre por acaso, se o planta hoje. Claro que uma pessoa mais velha já plantou e está agora vivendo do plantio da casa própria, de criar os filhos, de guardar um dinheiro na poupança, essas coisas.

Mas há um outro futuro, o futuro emocional, o futuro gerado por um espírito e uma personalidade trabalhados ao longo dos anos para que a velhice não seja vivida em sobressaltos inúteis, mas com inteligência e paz. Enfim, não há acaso em nosso futuro, nosso futuro será o resumo de nossas ações, plantios.

O mais é ficar esperando que um bom futuro caia do céu. Só por uma “loteria”, mas mesmo assim é preciso fazer a aposta, significa plantar para, quem sabe, colher. De graça nada. Futuro não é acaso, é plantio, desde muito cedo.

Negócios

Está na moda o empreendedorismo por necessidade. Baita tiro no pé. O sujeito que fizer isso vai se danar de arrependimentos. Negócio feito às pressas, sem talento potencial e gosto ardente é furada na certa.

Qualquer negócio em que pensemos, temos que pensar a partir de uma tendência natural, de amor mesmo. Fora disso será perda do dinheiro, falência e depressão, na certa. Melhor, para a maioria, é um emprego, mesmo que merreca...

Ética

Médicos e psicólogos, para dar dois exemplos, precisam ser cassados se falarem de seus clientes para amigos ou mesmo para a mulher ou para o marido. Para ninguém.

Segredo profissional fechadíssimo. E digo isso porque já ouvi ordinárias/os da medicina estética dando nomes de algumas de suas clientes famosas. Essa gentalha tem que ser “pegada”.

Por nada abrir o bico, segredo ético, profissional. Quem é competente ganha fama pelas línguas alheias.

Falta dizer

Raríssimos lembram em quem votaram nas últimas eleições para vereador, deputado, o diabo. Não lembram porque votaram irresponsavelmente, não lembram, não cobram e depois querem uma cidade, uma sociedade melhor. Irresponsáveis.

Quanto aos canalhas, que eleitos fizeram o que não deviam, “justiça”, mas a dos galpões, não as fajutas penas de tornozeleiras domésticas...

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul