O mundo tem muitos modos de acabar, e vai acabar. Nem é preciso crer nas previsões religiosas, vai acabar. E vai acabar pela estupidez humana, estupidez que anda à galope pelas esquinas.

São escandalosos os exemplos que nos empurram aceleradamente para o fim dos tempos. Um dos exemplos é a extinção das livrarias, as grandes “farmácias” da vida, em extinção apressada, e sem falar na decadência moral que avassala famílias e sociedade.

Você entra numa livraria hoje e o que mais vê são jogos eletrônicos em variedade e ofertas e livros ridículos escritos por jovens imbecis ou com títulos pornográficos... Jovens, eles e elas, que se acham alguma coisa, como se alguém com pouca idade tivesse o que contar num livro.

E num desses livros, um parvo de boné virado fazendo frases de efeito, do tipo: - “Quem faz a minha vida sou eu”. Frase típica para produzir entusiasmos em patetas iguais a ele. Ninguém faz a própria vida senão as circunstâncias da vida. Seria muito interessante se fizéssemos a nossa vida, teríamos poder sobre ela.

Ninguém faz a sua própria vida. Passamos pelo inescapável Período de Molde, aquele que vai do nascimento aos 6 anos, mais tardar, tempo em que os mais velhos que nos cercaram nesse período destilaram sobre nós os valores deles para a nossa vida. É sentença condenatória para o resto da vida. Tanto assim que Freud chamou o período posterior de “Compulsão à Repetição”, o ser humano vai se repetir até à morte nesses princípios “herdados” da primeiríssima infância.

Não temos poder para viver a vida que desejamos, o que mais fazemos é seguir os mandamentos do inconsciente, que são os medos, credos, virtudes e defeitos que nos foram dados pelos nossos “educadores”.

Mesmo que tivéssemos liberdade para fazer o que bem entendêssemos, teríamos pela frente as circunstâncias, que são de todos e coletivas. Temos que viver dentro dos padrões sociais, sem espaços para desvios... A única liberdade dos digitais influenciadores é a vadiagem eletrônica, a que está derrubando multidões pelo mundo, gente que pensa que é alguma coisa. E para terminar, quem não tem o que contar de sólida e longa experiência de vida não tem autoridade para escrever um livro. Que vão aprender a se lavar esses bobões das páginas vazias...

Dúvidas

Sem no mínimo 50 anos de idade, devia ser proibida a eleição de pessoas para a política. Com 50 anos o sujeito já deve ter alguma coisa na cabeça, será? Além disso, teriam que provar (não sei como) que de fato querem ajudar o povo, sem “segundas intenções”.  De onde tirariam as provas? É direito do eleitor especular, suspeitar... E outra coisa, não poderiam ficar mais que 8 anos como políticos. Depois, que vão achar o que fazer... Provas, já.

Cuidado

Quem tem idosos na família cuidados por estranhos que fique de olho atento. Muito comum esses idosos serem maltratados e a família não ficar sabendo, especialmente idosos com necessidades especiais. Maltratar essas pessoas é crime hediondo que merece a “boa” justiça, aquela dos galpões, ou da salinha dos fundos da minha delegacia... Canalhas.

Falta dizer

Mais das vezes, mandriões chegam atrasados ao trabalho dizendo que foi o trânsito que os atrasou, ou a chuva. Nada justifica. Os falsos espertos devem saber, e sabem, que quando a previsão diz que vai chover eles têm que sair mais cedo de casa... E o trânsito tem que ser calculado sempre para mais, nunca para menos. Certo, mandriões? Ou chegam no horário ou rua!