Sim e não. Essa é a minha primeira observação sobre o que acabei de ouvir de uma mulher “especial”. Não vou dizer da razão por que a vejo especial... A frase dela, que me empurrou da cadeira, é esta: - “Nunca se compare com ninguém”. A frase é enfática, mas não é bem assim.

A verdade na vida é muito elástica. Não se comparar com ninguém significa não olhar para ninguém, nem para admirar, nem para criticar. E não vejo outro modo de subir na vida sem ter diante dos olhos as referências, boas e más.

Você sabe, leitora, que imitar é implicitamente admirar. Ninguém imita senão a alguém que provocou admiração, inveja até... Queiramos ou não, temos que ter exemplos diante dos olhos.

De outro modo, como vamos nos avaliar? Claro que essas observações laterais sobre os outros não devem envolver, talvez seja isso o que a tal mulher quis dizer, não devem envolver o corpo físico.

Cada um nasce de um jeito, esse jeito, claro, pode mudar ou de modo natural ou por algum “acidente” de percurso, não é disso que falo ou que penso tenha pretendido dizer a mulher. Temos sim que nos comparar com os outros.

Não há como crescer sem exemplos que nos levem a desejar o mesmo e, mais tarde, a superar esses exemplos.

As notas em sala de aula avaliam a proficiência, o conhecimento dos alunos, sem as notas todos serão iguais. E não são. É preciso que o aluno nota 10 me incomode, me faça ver que sou um atrasado... E por que atrasado? Porque não estudo, ora!

O colega que tira 10 ou me empurra para o exemplo dele ou me faz, por opção estúpida, continuar atrasado. Mas a comparação é saudável.

Temos sim que nos comparar com os outros, o tempo todo, mas insisto, as comparações não devem ser pela forma do nariz, barriga ou qualquer questão que não transite por méritos ou dignidades.

Invejar alguém, me comparar a alguém que fala fluentemente a língua grega tendo a pessoa nascido ali na esquina pode me provocar a buscar a mesma fluência. E da comparação vem o meu crescimento, vale para tudo.

Parado, achando que sou o tal, não vou passar de uma bisca. Comparações, sempre.

Cuidados

A crise está gerando muitos desempregos e... as empresas estão “descobrindo” que podem produzir o mesmo com menos funcionários. Disso sobra o alerta: cuidado.

Não se acomodar achando que é o tal na empresa. O ditame é melhorar cada vez mais, aperfeiçoar-se, não escorregar na escada das éticas e olho vivo o tempo todo.

Ou isso ou mais um número na estatística dos desempregados. Não se ache, é a mensagem...

Higiene

Não posso imaginar que depois de tudo por que estamos a passar que ainda haja alguém tão idiota que ouse colocar velinhas sobre bolos para crianças sujas assoprar. E adultos pior ainda...

Assoprar velinhas significa jogar perdigotos imundos e todas as demais sujeiras da boca sobre um bolo que muitos vão comer. Limpeza e consciência fazem bem à saúde. Atoleimados.

Falta dizer

Quem estiver atrás de um balcão ou batendo de porta em porta para vender, é bom lembrar que certas virtudes estão fora de moda, trazê-las de volta é sabedoria.

Exemplos? Dizer obrigada, volte sempre, não se incomode, por favor, por gentileza, até amanhã, boa tarde, boa noite, desculpe, pequenas e esquecidas mesuras podem fazer a pessoa brilhar. É “experimentar” e sair para os abraços. Vale (e muito) para os casais...

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul