Nunca tinha ouvido falar de nenhum dos dois, dela ou dele, mas foram destaques em diversos sites, tanto nos de jornalismo “sério” quanto em outros nem tanto. A meu juízo todos são iguais, mas, vá lá, deixemos assim.

Eu não viria ao assunto não fosse por algumas questões que envolvem a todos nós, especialmente aos que pensam em casar e aos que já casaram. Ela foi apresentada como “influenciadora”, quer dizer, um nada, uma tola que vai influenciar a quem exatamente? Ora, ela só pode influenciar outras atoleimadas iguais a ela.

Influenciadora é uma nobre e excelente professora, essa sim é um tipo especial de influenciadora, vai deixar belas marcas permanentes em seus alunos, o resto... Bah, o resto é o que anda por aí.

Voltemos ao assunto. Ela, como disse, influenciadora, vale repetir, nada. Ele, ele é mesmo quem...? Nunca ouvi falar. Um idiota que se acha, faz poses, isso e aquilo. Mas o que me traz ao assunto, exemplo para muitos, é que a dupla que se dizia casada – duvido muito – ajuntados isso sim, se separou.

Grosso modo e aparentemente sem motivo. Ela, bem mais “famosa” que ele, disse que se separam, mas que ela vai continuar a amá-lo para sempre, é que a relação entre ambos mudou, disse a influenciadora.

Deixe-me fazer um ponto. Se ela vai continuar amando o camarada, por que a separação? Ela disse que as coisas são assim, mudam. Vai me desculpar, quem ama não deixa de amar sem razões muito especiais. Mas ela fez, todavia, uma frase, que me trouxe ao assunto, e simplesmente porque concordei com ela nesse aspecto.

Disse que há momentos em que o amor tem que ser “companheirismo”, se não for, não adianta amar. Interessante.

Você que me “ouve” aqui, me ouve nas emissoras de rádio que transmitem meus comentários e que me vê e ouve na televisão, sabe que friso com ênfase que casamento tem que ser companheirismo antes de tudo.

Ser companheiro é ser amigo, parceiro, pessoa que senta ao nosso lado e no silêncio é loquaz. Sente-se vida ao lado de uma companheira, companheiro. E isso é o que mais falta nos casamentos/ajuntamentos de hoje.

Os mais toscos pensam que casamento é cama todas as noites. Idiotas, bolas furadas, bermudões. As mulheres são bem mais gente nesse aspecto. A influenciadora nesse aspecto tem toda razão, bah, se tem!

Tempos

Arquivos Implacáveis. Vou aos meus arquivos e pego uma revista catarinense de 2006, a ACP, feita por jornalistas.

Na capa esta manchete: - “A mídia em xeque”. Abaixo, lia-se: - “Pesquisa realizada pela BBC e agência Reuters mostrou que quase a metade dos brasileiros desconfia do que é divulgado pela mídia. Mas, de quem realmente é a culpa por esta descrença popular”?

Não mudou nada. E não seria bem melhor se a verdade fosse divulgada, doesse a quem doesse?

SORTE

O ser humano de modo geral é um baita paspalho, quer realizações a partir da sorte, mas não se coça para a realização pelo trabalho.

É bem verdade que a sorte (oportunidade) algumas vezes nos bate à porta e não a atendemos, estamos no pátio procurando por um trevo-de-quatro-folhas. Perfeitos paspalhos.

Falta dizer

A Psicologia não raro se traveste de mendiga, diz verdades comezinhas, mas de grande poder.

Uma delas diz que vamos realizar todos os nossos sonhos se tivermos três virtudes: saber, poder e querer.

Saber fazer; poder o que pode ser feito por nós, e querer é a persistência indispensável.

Infelizmente, é para bem poucos. A maioria só quer...

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul