Soltando as rédeas da imaginação, um dia pensei, pensei e cheguei “à certeza” de que no interior da China, no meio de uma roça, há uma chinesinha sem-graça e que é a minha alma gêmea. Sempre pensei essa bobagem. Mas será mesmo bobagem? Claro que esse meu pensamento vale para você, leitora, para você, leitor.

Em algum lugar do mundo deve haver alguém que é você em sentido complementar... A alma gêmea. Mas o que será uma alma gêmea? Durante algum tempo cheguei a pensar que quando marido e mulher dividissem a mesma carreira, tivessem um trabalho na mesma área, que aí estaria um casal em harmonia, afinal, não faltaria assuntos do interesse de ambos e o dia todo...

Pensei, pensei, será mesmo que aí estará a possibilidade da harmonia? Pensei assim até que li sobre uma pesquisa minuciosa feita por americanos, os que pesquisam tudo e de tudo. Nessa pesquisa, realizada por professores da Universidade de Harvard, veio uma triste constatação, sim, triste. Foi descoberto que o pior dos casamentos era entre terapeutas, senão o pior, um dos mais frágeis. Ué, mas os dois não sabem tudo de psicologia, não conhecem Freud como a palma da mão deles? Talvez aí esteja o segredo da desarmonia, o serem ambos, marido e mulher, da mesma área.

Santo Deus, onde estará o caminho certo, será mesmo que há almas gêmeas? Vou continuar acreditando que sim... Afinal, quando nossa imaginação vem ao chão, destruída pela razão, pelos fatos, ah, companheira, pouco nos vai sobrar. E nessa pesquisa de Harvard foi constatado que é muito difícil transferirmos nossos conhecimentos de vida ou profissionais para a vida conjugal, por exemplo. Psicoterapeutas sabem “de tudo” sobre psicologia, pois não?

Em princípio digamos que sim, mas... Aí entra aquela velha “senhora” de quem muito já falei aqui: a dissonância cognitiva, que é o descompasso que existe entre o que sabemos e o que fazemos. Pô, mas se entre os que têm coisas na cabeça a conta não fecha, esperar o quê e de quem?

Talvez por isso uma velha canção de carnaval dizia que – “Casamento é loteria/ e eu não quero arriscar...”. Loteria? Loteria envolve sorte. Casamento será questão de sorte? Como dizia a publicidade, nem a pau, Juvenal, acredito nisso. Vou continuar “romântico”, acreditando nas almas gêmeas, melhor isso que a “verdade”...

Dinheiro

De há muito aprendi que emprestar livro é danação, o livro não vai voltar... É regra. Deve haver exceções, mas não as conheço. Agora ouça o que diz um consultor fi nanceiro, numa famosa revista brasileira: - “Quem acredita que emprestar dinheiro a amigo ou familiar é uma operação de risco baixo também costuma acreditar no Papai Noel... Por mais que a pessoa queira, dificilmente o dinheiro retorna...”. Aviso dado.

Caráter

A manchete está aqui, à minha frente: - “Nem se renda dobrar, dívida vira prioridade”. A reportagem conta que mesmo com polpudo aumento de salário, os brasileiros colocam o pagamento das dívidas entre os últimos objetivos das famílias de classes A, B, C. Parece que só os bem pobres dão prioridade às dívidas. A gentalha prefere viajar a acertar as contas. Vão colher...

Falta dizer

Vais construir uma casa? Prepara-te. Leio num jornal de São Paulo que o desperdício de material é da ordem de 30%. Catar parafuso que caiu dá trabalho, melhor é pegar um novo na caixa. E assim vai, compadre. Não é por outra razão que oschineses quando rogam uma praga a alguém, dizem: “Tomara que tu construas uma casa”! Sei bem disso, bah, se sei.

Quer receber as notícias no WhatsApp?