Bem dizia a escritora francesa Simone Beauvoir – “Não se nasce mulher, torna-se mulher...” Ela tinha razão, de fato, ninguém nasce mulher, a sociedade estúpida é que transforma as meninas em “mulheres”, não no sentido biológico, mas no sentido segunda voz, um ser sem força... Claro que esses “sem voz” e “sem força” foram criados pelos homens, pelos impotentes que sempre procuram silenciar e subjugar as mulheres pela força física. É o único modo como os covardes podem “segurar” a mulher, pela força física. Fora disso, e já está mais que comprovado pela Psicologia, as mulheres têm todos os diversos tipos de inteligência em estado potencialmente melhor que os homens. Mas... Mas elas não se respeitam, cedem, não se impõem, e muitas fazem isso vergonhosamente para não perder o traste que lhes está ao lado. Essas não são Mulheres, são mulherezinhas... O assunto que me traz a esta trela, leitora, não é mais o Ministério do Temer, que não tem mulheres e penso que se for por cota não tem que ter mesmo. Não deve haver cota para ninguém e por nenhuma razão. Se a cabeça da pessoa funciona, ela que se vire por seu lugar no espaço social. Ponto. O que agora me cutuca é saber que Santa Catarina, um Estado metido a religioso, a ter altos níveis (falaciosos) de escolarização do povo, isto e mais aquilo, esteja a admitir entre nós um grave “surto” de Sífilis, sem falar de outras moléstias sexuais pútridas. Moléstias que tanto podem ser contraídas por desatenção na “sujeira” quanto por covardia das mulheres. Fácil de entender. Nada, absolutamente nada, justifica hoje que uma jovem mulher, uma guria, faça sexo, e fazem, sem camisinha. Ah, mas o meu namorado não gosta de camisinha! – Não gosta? Então mande-o ao devido lugar, garota. E você sabe bem qual é o devido lugar. Não há mais por que confiar em quem anda por aí, seja quem for, tenha o nome que tiver. Quem se ferra mais nas doenças sexualmente transmissíveis são as mulheres, seu aparelho sexual e reprodutor não foram feitos para “sujeiras”. Então, elas têm que ter voz, impor-se, dizer não... E vão fazer isso? Claro que não, não foram educadas para a altivez, mas para dizer sim aos namorados, aos amantes e mais tarde aos maridos, mesmo os tantos e tantos que pulam muro e as infectam na volta... O aviso está dado, que as mães falem disso para as filhas. Vão falar? Claro que não, mais uma vez perco meu tempo. Eles Faz tempo que descobriram que esses estudantes molambentos que andam invadindo escolas e universidades pelo Brasil nenhum deles é aluno de ponta, de notas altas. Tudo vadião. E outra coisa: nunca invadem a biblioteca, sempre o restaurante ou a reitoria da universidade. Eles têm urticária diante dos livros, os vadios. Quem duvidar, faça a pesquisa. Falta dizer E é bom não esquecer, seja de Pedro ou de Paulo o governo, quem não suar, se empenhar, der duro, crer nos milagres da água benta do suor, pode tirar o cavalinho da chuva, este ou aquele governo será igual. O sucesso das pessoas é feito pelas pessoas.