Ah, Prates, tu vais continuar nesse assunto? Vou. Vou porque a questão é incandescente, na ordem do dia, e ontem ouvi durante bom tempo duas mulheres, mulheres jovens, empreendedoras e, mais que tudo e raro, de cabeças afinadas, inteligentes na medida certa para não bobearem num mundo cada vez mais dominado por parvos, não os quero chamar de bermudões idiotas, homens, é claro. As duas mulheres tocam uma loja de aluguel de roupas femininas para festas. Roupas que se a cliente for comprar novas, em São Paulo, não pagará menos de 5, 6 ou mais mil reais pela peça. Roupas finas, daquelas de chegar na festa e abafar. Aliás, hoje em dia, cada vez as mulheres espertas e com consciência de valores não gastam em “bobagens”, alugam-nas. E nesse aluguel de roupas que valem pequenas fortunas no mercado, você paga pelo aluguel algo em torno de 600 reais. Moleza. Mas o assunto é outro, é paralelo. Perguntei às moças da loja se os maridos não costumam, vez por outra, ir com suas mulheres para a escolha das roupas. Disseram que sim. E aí contaram-me o pior. A mulher vai à loja, olha, olha, olha e escolhe. Prova o vestido, olha-se por todos os lados e suspira – “Santo Deus, parece que foi feito para mim, é este, vou alugar este”! O marido, que está por perto, olha para a mulher com o vestido escolhido e diz: - “Não, esse não. Escolhe outro, esse não fica bem para ti”...! E as moças da loja me disseram que eles dizem isso porque sentem que mulher ficou deslumbrante, linda, “desejável” e isso, ah, isso eles, os machos impotentes, não toleram. E o pior, elas acabam desistindo do modelo escolhido. Erradas, completamente erradas. Ou é aquele vestido ou não vai ter festa, “queridão”. Mas não, elas silenciam. Erradas, já disse. Elas dão corda para os caras continuar mandando nelas. E por que elas deixam eles sair para o shopping vestindo bermudas, chinelos ou tênis surrados, camisetas molambentas? Por que os ordinários entram assim inclusive nos aviões e elas nada dizem? Enquanto a mulher não mandar em seu corpo, em suas roupas, em sua liberdade, vai continuar escrava, posto que pense ser livre. Acordem, mulheres, deixem de dar corda para eles. Encrenca Talvez você não saiba, mas uma das maiores encrencas nas gravações de novelas são os beijos. É para serem “técnicos”, isto é, de aparências, alguns avançam o sinal e fazem ou querem fazer beijos de motéis de beira de estrada. Sai fumaça de quem não concorda. E a outra encrenca é que há os que não toleram beijar aquele tipo, ele ou ela. Parece fácil? Vá lá. Falta dizer Boa, muito boa. Europeus, alemães, estão elaborado um guia sexual para imigrantes. Maravilha. De outro modo, os caras nem aí para a responsabilidade vão empilhando filhos e criando severos problemas sociais. Como aqui, os irresponsáveis.