Ele é famoso, rico, muito rico, mas já foi bem pobre, pobríssimo, segundo ele mesmo... Falo do cartunista americano Scott Adms, criador do personagem Dilbert. Até aí, nada. Ocorre que acabei de ler uma entrevista do Scott onde ele fez uma frase que não me desceu bem, contesto-a. Se não o fizer vai ficar a ideia de que ele tem razão, e não tem, não pelo menos sem que se abra a porta para o debate. Scott disse: - “Odeio quando um bilionário diz que chegou lá porque trabalhou duro, porque você sabe que o jardineiro e a empregada dele estão trabalhando duas vezes mais”... Se eu fosse amigo do Scott diria a ele para não ser estúpido, a frase dele é um sofisma que visa torná-lo simpático, não creio que seja por estreiteza da mente. Há um ditado que diz que – “Deus ajuda a quem cedo madruga”. Essa frase não pode ser engolida, ela tem que ser compreendida, isso sim. Levantar cedo é sinônimo de trabalho, de trabalhar. Mas trabalhar qualquer um trabalha, a questão é trabalhar com a cabeça e não com as mãos. Ou com as mãos, sim, mas pelo comando da cabeça. Um emérito cirurgião tem formidável habilidade com as mãos, mas essa habilidade resultou de um enorme esforço da cabeça dele para levá-lo à qualificação com as mãos. Os ricos, os bilionários, os honestos, é claro, trabalharam duro sim, deram muito duro. Para enriquecer precisamos suar, suar muito, mas com a cabeça antes de tudo, com inteligência. Os bilionários geralmente atuam na área comercial, de um modo ou de outro, e quem disse que é fácil fazer dinheiro em qualquer área comercial? Então, que fique muito claro ao guri e à guria que estão indo para a escola todos os dias... Ir à escola não serve para nada, só vale se houver atenção em sala de aula e depois, em casa, demorados exercícios, todos os dia, aí sim, aí o estudante irá longe. De outro modo, será apenas um aluno, aluno vai ao colégio, estudante estuda. Essa é a diferença. E dizer que o estudante não fez esforços, não suou, é desculpa dos alunos vadios. Vale para quem trabalha como burro e vive na pobreza. Não basta trabalhar, levantar cedo, tem que saber trabalhar. Vem daí o sucesso. O mais é buscar simpatia, como fez o cartunista Scott.

LEIA A COLUNA COMPLETA NA VERSÃO DIGITAL DO JORNAL O CORREIO DO POVO