Devagar se vai...

Isso mesmo, devagar se vai ao longe. É um ditado tão velho quanto Adão no paraíso, mas... Difícil de ser posto em prática, mais ainda hoje, nessa corrida que tipifica o tempo por que passamos. Mas não é essa a questão. O que quero dizer é que a vida só tem sentido enquanto tivermos um sonho a realizar, acabados os sonhos na vida, a vida acabou. Alguém me pode chamar de dramático... Só gostaria de saber de que vale a vida sem um sonho, um projeto, um desejo que seja, ao menos, de atravessar a rua.

Ocorre que muitos de nós, muitos é pouco, quase todos, queremos dar um passo maior que a perna. Sem o “devagar se vai ao longe” não iremos a lugar nenhum. Dou um exemplo bem fuleiro. O sujeito é obeso, olha-se todos os dias no espelho e num certo momento bate na pia do banheiro: - “Vou perder 20 quilos”, afirma a si mesmo, olhando nos olhos a testemunha de sua promessa, ele mesmo no espelho do banheiro. Ótimo, foi um desejo levado a decreto. O sujeito tem agora um sonho a perseguir.

Sim, mas já traçou o plano sobre como será a sua dieta emagrecedora? Sem o plano bem traçado, neca, peteca! Vai engordar mais. Mas o sujeito faz planos, começa a dieta e semanas depois vai se pesar. Bah, está longe dos 20 quilos que desejou perder. Faz sentido. Não há magias nessas promessas, nesses sonhos, é preciso plano adequado e... tempo. Só se vai longe indo devagar, correr cansa. Ademais, os tais 20 quilos desejados perder tinham que ser fragmentados em pequenas quantidades, 2, 3, 5 quilos por mês, ou coisa parecida. Decidir perder os tais 20 quilos assim, numa sentada, é milagre que nenhum santo realiza. Vale para tudo, afinal, já não foi dito que “de tostão em tostão se chega ao milhão”?

Ter planos, sonhos, projetos, tudo no papel, início imediato e paciência são o segredo das grandes vitórias na vida. Aliás, quase esqueço, alguns “cursos” de idiomas anunciam fluência e qualidade no falar em três meses. Nem sendo filho do Papa o sujeito consegue, mas... Os idiotas caem na rede da pressa e do milagre sem suor. Ah, e acabei de voltar da minha caixinha dos tostões... Bah, falta, falta e falta para chegar ao milhão...

TEMPOS

No passado, ouvintes e telespectadores só podiam mandar mensagens sobre pessoas ou programas por cartas. Eram poucas as cartas. Razão? Cartas davam trabalho e tinham que ser seladas, isto é, gastar dinheiro, e exigiam cuidados ortográficos, gramaticais, sob pena de a pessoa ser julgada pela carta... E a maioria sabia-se incompetente, como hoje. Só que hoje está liberado o escrever errado, com gírias baratas e burrices, mas todos se achando alguma coisa... Bah, que tempos!

BICHOS

Foi dia destes, até estava deixando passar. Um cavalo, puxando uma charrete turística em Nova Iorque, caiu de exaustão no meio da rua, exaustão e calor. As fotos mostravam o bichinho sangrando na boca. Isso em Nova Iorque, hein! De fato, desgraçados existem em todo o mundo, tanto os que ganham dinheiro fazendo sofrer os bichos quanto os entupidos que passeiam nessas charretes. Humanos fétidos.

FALTA DIZER

20 de Setembro? Data da Revolução Farroupilha, dos gaúchos. Muito bom então lembrar parte do hino riograndense: - “Não basta para ser livre ser forte, aguerrido e bravo, povo que não tem virtude acaba por ser escravo...”. Vale para a maioria dos brasileiros “eleitores”...